sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

SERÁ QUE VALE A PENA?


 Será que vale a pena mesmo insistir em algo que muitas vezes não deu certo?
 Será que vale a pena lutar por algo que aparenta e transparece ter apenas uma via de uma mão? 
 Eu acredito que a melhor coisa é quando tá tudo claro. Tudo bem explicito pra poder saber se realmente tá valendo a pena lutar, esperar e ver o que acontece. Eu preciso sentir e muitas vezes eu não sinto absolutamente nada vindo de fora. 
 Ou será que tá tudo tão claro e eu não quero enxergar e aceitar?
 Acho que quando realmente a pessoa quer as coisas acontecem. 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

CICLO


 Eu ia esperar chegar a última semana desse ano pra poder falar sobre, mas já tô há dias pensando sobre e enquanto eu não colocar isso pra fora eu não vou me aquietar. Nesse ano basicamente tive dois relacionamentos bem intensos. O primeiro eu me entreguei de uma forma super radical, mas tardiamente. Percebi que ele realmente valia a pena depois que precisei pagar pra ver algumas coisas. Só que esse "pagar pra ver" foi algo que acabou destruindo logo no início tudo o que podia ter sido bom. Ficamos naqueles idas e vindas, que pra ser sincero não é algo tão saudável. A cada volta tu estás com uma nova cicatriz. Cicatrizes acabam sendo marcas de grandes magoas passadas. Cada vez mais perto e cada vez mais longe. Frase que definia tudo. Mas eu também acabei vacilando bastante. Só que não posso me culpar totalmente. Ano passado também passei por dois relacionamentos e o último foi o que chegou mais perto de firmar tudo de uma vez, só que chegamos tão alto que a queda foi terrível e eu comecei a ficar cético em relação à essas coisas. Até entendo o afastamento e o desapego. Mas até hoje penso que ele acabou querendo continuar pra se vingar, fazer eu comer na mão dele e ser como ele queria. Quando percebi que não valia mais a pena acabei aplicando um grande "foda-se" e joguei tudo pro alto. Logo na mesma semana e justamente no dia em que completei um ano morando em São Paulo acabei conhecendo o segundo. Mesmo dia de data de aniversário e toda uma numerologia e analogismo entre nós dois que é forte demais. O vi apenas duas vezes em todo esse tempo, mas na última vez a conexão foi tão grande, sabe? O abraço? Sabe aqueles que tu estás e se sentes tão seguro? Então, esse é o tipo de abraço dele. O melhor que já senti em toda a minha vida. Transmitindo total segurança, conforto e confiança. Só que com o tempo as coisas foram se complicando cada vez mais. A distância fez com que nós fossemos perdendo o diálogo. Comecei a ter grandes problemas pessoais e que me afetaram muito. Comecei a pensar em fazer várias coisas terríveis comigo mesmo. Isso foi uma das coisas que favoreceu no fim. Durante uns dois meses frequentei psicológa e foi uma das melhores coisas que fiz na vida. Minha cabeça tá totalmente renovada e organizada e vi que têm muita coisa que não vale nem um pouco a pena. Mas isso já é outro assunto que podemos tratar futuramente por aqui, pelo meu canal no YouTube ou até mesmo pessoalmente. Mas ah, não contei. Sabem o segundo relacionamento? Do melhor abraço do mundo? Acredito que em breve estarei nesse abraço novamente :) 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

COMPLEMENTAR


  Eu acho que ultimamente todos os meus relacionamentos não estavam dando certo por puro desespero. Meu mesmo, no caso. Eu tava naquele pensamento maluco de que eu precisava de alguém pra tá comigo. Pra namorar e me fazer bem. Mas eu caí na real. Eu primeiramente tenho que me sentir bem sozinho, porque amor não completa, ele acrescenta e acompanha. Amor não é pra fazer com que tu fiques feliz, amor serve apenas pra dobrar todas as tuas sensações e vontades. Se eu morrer de sofrer por amor, eu acredito que isso seja errado. Amar não é pra sentir dor. Amar não é pra ficar triste. Isso tudo tá muito errado. Amar não é pra tornar as coisas difíceis de acontecerem. Claro que um pouco de esforço é sempre válido pra muita coisa, mas isso tem que ser recíproco. A canoa não continua sua viagem se apenas um lado rema. Não precisa demonstrar quantidade. Apenas demonstre interesse. Só sei que depois de tanta porrada na cara, agora o que eu preciso é apenas ficar sozinho mesmo. Me divertir. Aproveitar outras coisas e deixar de lado essa loucura toda por um tempo. . Esquecer totalmente as histórias passadas. Superar de vez pra eu poder embarcar em uma nova história. É aquele lance de terminar um livro primeiro pra começar um novo.  Porque quando menos se espera, aparece alguém apenas pra complementar essa coisa toda. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

SE ACABOU TERMINE DE VEZ


 Eu fico imaginando o que passa na cabeça de uma pessoa querer ficar maltratando outra sabendo que essa outra obtém grandes sentimentos por ela?! Eu imaginava que agora seria o momento de aproveitar ao máximo o tempo e consertar tudo o que havia acontecido em alguns meses atrás. Pobre pessoa iludida que eu sou. Eu e essa minha mania terrível de achar que todo mundo merece uma segunda chance. Eu e essa minha mania terrível de agir com a emoção e não com a razão. No fundo eu sabia que voltar pra isso seria total furada, mas eu sou do tipo que paga pra ver. E muitas das vezes eu acabo me ferrando pra valer. Eu queria muito ficar em paz com todo mundo, mas isso não depende só de mim. Eu acho que eu não mereço tanto desprezo, desumanidade e egoísmo. Principalmente porque eu tenho sentimentos. Sentimentos fortes, profundos e intensos. Eu nunca mais caio nessa vibe de recomeçar o que já tinha terminado. E sinceramente, eu espero que dessa vez eu tenha aprendido. 

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

REFLETINDO


 Uma semana depois e meus pensamentos continuam a mesma coisa em relação à ti. Só que têm alguns pontos aqui que preciso pôr na mesa. Primeiramente: Como que uma pessoa pode chegar ao ponto de inventar uma "quase morte" da sua própria mãe? Que desumano. É muito não ter escrúpulos nenhum. Segundo: Como que uma pessoa é capaz de começar a se envolver com outra pessoa, aceitar voltar com outra e ainda dizer que vai lutar pela outra, que vai provar que é melhor e tudo mais pra depois vim dizer pra qual voltou depois que tá conhecendo outra pessoa há duas semanas antes? É muito não ter coração. Uma pessoa dessas não têm sentimentos e não é capaz se quer de gostar de alguém de verdade. Ainda tem a cara de pau em dizer que não fez absolutamente nada e que só espera compreensão. Compreensão? Traição não tem compreensão. Pessoas que traem as outras não têm explicação alguma. A única explicação pra isso são pessoas indecisas que não sabem o que querem da vida, que não sabem gostar de verdade pra alguém e são frustradas. De pessoas assim eu quero apenas distância. E tudo que restou disso tudo foi apenas ódio por ti. A pior traição vêm de pessoas que mais confiamos, porque é um tipo de traição que não se espera. E eu sinceramente, espero nunca mais te ver na vida. 

domingo, 4 de setembro de 2016

CONSCIÊNCIA


 Eu tava aqui pensando sobre o lance da consciência e resolvi escrever sobre isso. Independente de qualquer coisa que façam contigo, eu acredito que a consciência é que prevalece. Cada pessoa tem a sua e uma hora ela pesa dependendo do que tu podes ter feito. Cabe também a si mesmo saber se tal coisa feita é ruim ou não. Depende muito da visão de cada ser humano. De saber o que é certo e o que é errado. Cada vez mais descubro pessoas que não são tão humanas. Pessoas vazias. Cruéis. Dessas eu tenho nojo. Tenho nojo e quero distância. Tudo que acontece é bem feito. É pra realmente ser. Por mais que algumas vezes certas coisas parecem ser demais terríveis, mas elas servem como aprendizado de certa forma. Quando chega na hora de eu colocar a minha cabeça no travesseiro pra dormir, eu fico em paz comigo mesmo, porque minha consciência tá totalmente tranquila e em paz. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

NOJO


  Antes de começar esse texto preciso deixar uma coisa bem clara. Eu não escrevo esses textos como forma de indireta. Eu tenho esse blog, porque ele serve como uma válvula de escape pra eu expurgar todos os sentimentos ruins. Não escrevo e posto esperando que alguém venha ler. E como sempre vem gente aqui pra ler e fico feliz com a identificação e interesse. Agora vamos lá. 
 Eu consigo perdoar todos os tipos de coisas que o ser humano é capaz de fazer. Mas existem algumas coisas que chegam a ser desumanas e isso eu não consigo engolir. Traição é uma delas. Quando eu o conheci, eu fiquei super encantado. Fiquei empolgado com tanta atenção e carinho. As coisas desandaram em um certo tempo e agora eu percebi que era pra ter parado ali mesmo. Eu não consigo imaginar como que pode uma pessoa ser tão cruel e escrota com os outros. De chegar ao ponto de falar que vai lutar por mim, que está disposto a fazer tudo pra provar que é o melhor. Que é a pessoa certa pra ficar comigo. Sendo que antes mesmo disso tudo já tá conhecendo outra pessoa e em tão pouco tempo já tá até mesmo disposto a namorar. Seria cômico se não fosse trágico e ridículo. É de dar nojo. Enquanto isso eu todo bobo acreditando que tava sendo valorizado. Eu tava me sentindo lá nas alturas e achando que finalmente eu tinha encontrado alguém pra seguir em frente. Construir uma história. Eu confiava demais em ti. Confiava demais e sentia muita falta do teu abraço. Aquele abraço que eu achava que era confiável e seguro. Mas na verdade eu abracei a pessoa mais nojenta e filha da puta que eu conheci e me relacionei na vida. Agora sim afirmo isso, agora sim tenho certeza que foi a pior pessoa que já me relacionei. Que chegou em um nível tão escroto e desumano. Egoísta. Cruel. Escroto. Frio. Nojento. É só o que sinto por ti agora. NOJO. Mas o inferno é aqui mesmo. Aqui se faz, aqui se paga. E levo isso como um grande aprendizado (mais uma vez) e sigo de cabeça erguida e consciência tranquila. Fico em paz. 

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

SENSIBILIDADE


 Eu tenho várias fases em estar me sentindo de tal forma. Acredito que todos tenham. Acho que uma das que eu mais odeio é a sensibilidade. Pois me sinto tão bobo e frágil. E concluí o seguinte sobre isso: Quando eu estiver assim vou procurar não manter muito contato com pessoas que eu gosto muito. Vou precisar de um tempo. Pois no meio de um dialogo posso me machucar com alguma coisa que tenha sido dita. Qualquer reação seca vai me doer, pois quando tô sensível e carente o que eu mais almejo é apenas ter atenção e carinho. Não preciso de palavras secas e nem de reações que demonstrem que tá cagando pra minha sensibilidade. Eu posso ficar chato sim, ter observações dobradas em relação à tudo. Como eu também percebi que minha carência e sensibilidade não importam, eu optei por dar um tempo de diálogos diários pra não ter que depois ficar no travesseiro me martirizando com meus pensamentos. Posso levar dias, e quando eu tiver mais estável talvez eu retorne. Não quero ser julgado como um "fugitivo", pois também tu fazes a mesma coisa quando eu tô assim. 

domingo, 28 de agosto de 2016

QUERIA ALGUÉM




 A verdade é que eu apenas queria ter alguém pra estar junto comigo
Queria alguém pra ficar agarrado comigo nos dias frios
Queria alguém pra também ficar agarrado independente se tá calor ou não
Queria alguém pra falar besteira durante horas
Queria alguém pra falar sobre planos futuros e coisas que acontecem nas nossas vidas
Queria alguém pra compartilhar algo engraçado no whatsapp
Queria alguém pra mostrar um single novo de uma banda que gostamos em comum 
Queria alguém pra conversar sobre aquela série que ambos amam
Queria alguém pra me abraçar na hora que eu tivesse triste
Queria alguém pra comemorar comigo alguma conquista da vida
Queria alguém pra assistir um filme de mãos dadas no cinema 
Queria alguém pra passar o dia conversando comigo em um parque
Queria alguém pra acreditar nas minhas palavras
Queria alguém pra fazer tanta coisa comigo. 
 Mas a verdade é que agora eu não sei mais se quero ou se acredito que esse alguém um dia possa chegar ou existir. 

sábado, 27 de agosto de 2016

DESESPERO


 Acho que ninguém gosta de ser ignorado e esquecido, né? E eu sempre tive muito problema com isso. No meu último relacionamento então, nem se fale. Peguei totalmente um trauma disso. Esse negócio de desaparecer. De não mandar notícia. Bate uma preocupação. Sinceramente, eu fico desesperado. Minha cabeça é uma coisa louca. Imagino mil coisas. As piores. É uma forma muito egoísta da outra parte, porque tu se desesperas, fica louco por uma notícia. Alguma informação. Saber se tá tudo bem. E a outra nem se quer pra ter um minimo de consideração e avisar o que tá acontecendo, sabe? Eu sinceramente não tenho mais psicológico pra isso. Nessas horas eu penso que tá sozinho e sem ninguém é mais saudável do que ficar nesse desespero todo. E só pra frisar, não é posse, é apenas preocupação mesmo. 

sábado, 20 de agosto de 2016

EU E O NADA


 Todo fim de relacionamento, independente de como seja, acaba sendo doloroso. Né? Mais ruim ainda quando o fim não é tão resolvido. É muito ruim perceber que a pessoa do outro lado não deu a minima pra ti. Não se importou em absolutamente nada. Dizia flores, mas suas atitudes demonstravam que eu e o nada era basicamente a mesma coisa. Fui segurando a onda até onde deu, adiei por diversas vezes em chegar ao ponto de escrever uma enorme mensagem desabafando tudo que eu tava sentindo. Meu erro também foi ter voltado. Ter dado a tal segunda chance. Logo eu que sempre diz que terminar com alguém e depois voltar é uma das piores fatalidades que tu podes cometer. E sim, foi exatamente isso que aconteceu. Eu sou bicho teimoso. Eu pago pra ver. Eu prefiro tentar pra depois eu não ficar achando que desisti fácil. Eu não desisto fácil. Vou até o meu limite. Mas o ruim é que toda essa minha teimosia faz com que eu me machuque e essa parte não é nada legal. Fico pensando como podem existir pessoas tão frias, tão amargas e tão ocas. Eu me abri de diversas formas. Falei tudo que eu tava sentindo e parece que tudo foi falado pras paredes. É realmente frustrante. 

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

TUDO PRA FORA


 Quando eu gosto sou o tipo de pessoa que insiste e que vai até onde eu puder, mas acho que tem hora que o limite bate, né? E nessas horas é desapego total. Eu quando gosto crio pontes pra continuar caminhando até onde eu não puder mais. Só que ultimamente eu tenho percebido que isso me faz mal. Quando tô contigo eu me sinto relaxado. Fico bem, de verdade. Mas quando tô longe parece que eu não existo pra ti. Que "gostar" é esse que se quer não manda um "oi, tu estás bem?" em alguma hora do dia? Eu não quero impor compromisso sério, até porque não é uma coisa que eu almejo agora e acredito que esses tipos de coisas não se planejam. Simplesmente acontecem. Mas eu gostaria de ter alguém pra ser um companheiro. De compartilhar momentos. De me fazer um cafuné quando eu tiver precisando. De ter uma companhia pra ir ao cinema, de assistir um netflix, de acompanhar uma série juntos, de pedir uma pizza com um vinho barato e gostoso, de dormir agarradinhos nos dias frios. Eu percebi cada vez mais que não é necessariamente só sexo que eu preciso. Percebi isso nas vezes em que eu terminava tudo e a coisa que eu mais queria no fim era ir pra casa ou que a pessoa fosse embora da minha. Eu acho que não tô mais nessa fase. Tô na fase de me aquietar. Não necessariamente namorar, mas o que eu desejo há uma analogia com namoro, só que sem cobranças, sabe? Só que não posso mais ficar alimentando algo que não passa de sexo. Eu quero mais do que isso. Quero um amigo em que eu possa abraçar e trocar carícias quando eu tiver precisando. Quero poder te mandar mensagem e dizer que vou te ver. Chegar lá e ficar jogando conversa fora. E muitas outras coisas do tipo. Eu simplesmente só queria ter um companheiro e não ser apenas um objeto sexual. 

sábado, 30 de julho de 2016

TENTANDO DECIFRAR


 Eu fico tentando te entender. Por mais que eu tente aqui, eu não consigo te decifrar por completo. Nas horas que tu precisas que eu esteja presente acontece, porque lá eu estou. Mas sinto que quando eu preciso tu não fazes o mesmo. Não quero que seja uma troca de favores. Eu quero que seja natural e que seja da própria vontade de me ver. Assim as coisas fluem mais. Ontem a noite fiquei pensando se da próxima vez que tu me chamares eu talvez diga um "não" e encerre toda a história, mas tenho receio e dúvida. Não sei se é isso que quero. Porque quando tô contigo eu me sinto tão relaxado, tão confortável e tão à vontade. O problema é que quando não tô simplesmente parece que fazes de conta que eu não existo. Agora fico nesse impasse que me dói só de pensar e sem saber o que fazer. 

sexta-feira, 29 de julho de 2016

FALTA DE RECIPROCIDADE


 É muito ruim a falta de resposta, de clareza e reciprocidade, né? Quando tu começas a gostar de alguém, o minimo que se espera é que também a pessoa esteja gostando. Tu esperas mais presença, afeto, atenção e por aí vai. Quando percebes a falta disso é uma grande frustração. Tu se sentes vazio, abandonado e parece que tá fazendo papel de trouxa. É ruim esse circo todo dá só uma volta, e essa volta só vai e não volta. Ter retorno é bom. Tu sentires que estás sendo adorado é uma das melhores sensações da vida. Principalmente quando vem de uma pessoa que tu gostas tanto. Pra eu me sentir bem e tranquilo eu preciso sentir esses tipos de coisas da pessoa que eu gosto, que tô me relacionando. Agora fico aqui pensando se realmente fiz algumas coisas certas e se tô mesmo na vibe certa. O tempo me trará boas respostas como toda vez. 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

REFLETINDO SOBRE AMAR


 Como esse lance de amar é complicado, né? Principalmente nos dias de hoje. As pessoas sentem medo de se entregar. As que querem algo à mais sentem bastante medo. Que é o meu caso. Eu não tenho necessidade de ter alguém pra ficar comigo e ter um compromisso sério. Mas quando paro pra pensar nessas coisas me sinto tão vazio e incompleto. Já tô solteiro desde 2011, mas claro que desde lá eu tive alguns relacionamentos sérios. Não chegaram a ser firmados como o bendito compromisso de namoro, mas rolou aquela coisa de ficar só com aquela pessoa, sabe? A única coisa que era diferente mesmo era que não havíamos assumido um namoro, de fato. Nunca se firmaram, porque o receio é muito grande. Sempre depois que finalizo com um, pra começar com outro é uma parada conturbadora. Parece que eu sou campeão em gostar das pessoas erradas. Eu gosto de coisas recíprocas e claras. Na falta disso fico em total desespero. Mas que tudo seja no seu devido tempo. 

terça-feira, 19 de julho de 2016

EU TE ODEIO


 Acho que tinha muito tempo que eu não terminava com alguém e não ficava com tanta raiva. Tudo isso, porque acabei percebendo que tudo não passou de uma perda de tempo. Foram dois meses se guardando, esperando, conversando, conhecendo, se privando de muita coisa mesmo. Não havia nada planejado, mas cada vez mais tu ias alimentando. Quando alimenta a coisa toda vai crescendo. Eu tava cada mais envolvido. Era um mundo muito bipolar. Uma hora eram flores. Outra hora era uma verdadeira tempestade. Daquelas bem frias mesmo. Ainda vens esfregar na cara que me ouvia. Que me dava conselhos. Que conseguia me compreender. Que dormia mais tarde pra poder falar comigo. Cara, essas coisas não se citam, não se jogam na cara de ninguém. Pois ficou parecendo que foi um favor que fizestes pra mim. Eu sinto raiva, porque mesmo eu me guardando, tu desconfiastes demais de mim. Na primeira oportunidade de demonstrar confiança tu estragas tudo. Ai, meu. Que raiva que eu sinto de ter percebido que tudo foi em vão. Eu te odeio muito. Não queria estar sentindo isso, pois não é saudável. Mas sentimento não é uma coisa que está sob nosso controle. 

domingo, 17 de julho de 2016

RETORNO CÉTICO


 Não sei se é saudável retornar à alguém que já te provocou bastante sofrimento. Mas também os sentimentos não estão no nosso total controle. Eu tenho controle do quê devo fazer, mas não sou responsável pelo que os meus sentimentos me guiam. Eu tava aqui pensando agora se voltar a ficar com uma pessoa que já provocou sofrimento é saudável. É como se eu tivesse querendo curar uma ferida, mas talvez apenas eu esteja só remexendo na mesma. Só que quando tô junto eu não me sinto mal. Nem se quer longe, como agora. Mas começou a me passar na cabeça esses turbilhões de pensamentos e minha barriga gela só em pensar que estou sujeito a me machucar de novo. Só que dessa vez eu tô mais frio. Eu não consigo mais me comover e nem sentir absolutamente nada. O que ainda sinto é medo. Medo de passar pela mesma coisa mais uma vez. Mas acho que toda essa minha frieza acaba sendo uma proteção, de certa forma. Quando decidi retornar, eu lembro que havíamos combinado de haver uma conversa. Beleza. Fui lá e não houve conversa alguma a respeito de tudo que havia acontecido. E foi aí que comecei a pensar se realmente eu devia ter ido lá. Aparentamos estar numa boa e algumas coisas foram jogadas no ar. Mas não sei se realmente devo continuar nisso ou se ponho logo um ponto final e enterro toda essa história de uma vez.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

"MAS NÃO VAI DAR CERTO"


 Hoje ao contar que eu tinha voltado a falar com um alguém aí, ouvi o seguinte típico comentário "Mas vocês não vão dar certo". É incrível como é fácil pra quem tá de fora falar e concluir esses tipos de coisas, né? O fato é que só quem sabe realmente das coisas que acontecem é quem tá ali dentro de toda situação. Que tá vivendo aquilo tudo. Porque tu sabes de todos os detalhes. Tu sentes tudo. Se insistes é porque tem algo que tu sabes que pode fazer com que a coisa toda funcione.

SONHO


 Hoje ao acordar percebi que tinha sonhado contigo. Sonhei que nos encontrávamos depois de muito tempo e a primeira coisa que eu fazia era correr pro teu abraço e ficar ali nele por muito tempo. Chorando de felicidade. Sentindo uma paz plena. Uma segurança e confiança incrível como eu senti na primeira vez que te abracei. Aí parei pra pensar na forma idiota e frustrante em que tudo acabou. Isso me deixa muito triste, pois muitas histórias acabam tendo um fim por pura bobagem. Eu acreditava que eu tinha encontrado alguém certo, dessa vez. Eu tava muito na onda de "agora vai". Sabe? Mas acho que me enganei. Pois se quer tu acreditas na minha palavra. Confiança é a a base, e sem essa base as coisas não fluem. Percebi que ainda sou apaixonado. Muito, até. Mas acho que primeiramente as coisas devem ser feitas pela razão e não pela emoção. Se sentimentos fossem o suficiente, muitas coisas estariam dando bem mais certo. O mais triste ainda é perceber que mesmo depois dessas semanas, os teus pensamentos continuam os mesmos. Nada mudou.

sábado, 25 de junho de 2016

DESCONFIANÇA


 Primeiramente, acho que a base de qualquer relacionamento pra ser mantido deve ser a confiança. Sem ela acho que não conseguimos solidar nada. Ficar na desconfiança não é saudável e quando tu perceberes que chegou nesse ponto dele ficar sempre questionando, só digo uma coisa: Seja sensato e caia fora. Falo por experiência própria. Já tive um relacionamento em que teve uma hora que a desconfiança prevaleceu. Era um verdadeiro inferno. Por mais que eu esperneasse, chorasse e fizesse tudo que eu tinha que fazer pra provar algo, toda aquela cachaça era em vão. Hoje essa bendita desconfiança prevaleceu e destruiu dois relacionamentos meus. Um suposto "amor da minha vida" e uma amizade. Eu acredito que já sou bem grandinho, responsável e independente o suficiente pra não ter que perder tempo pedindo pra amigo fazer teste no rapaz que tô conhecendo. Além disso ser muito infantil, nisso também prevalece a tal da desconfiança. Se for pra ser assim melhor nem começar. Como eu disse no início do texto, confiança é a base pra manter qualquer relacionamento. Há 5 anos atrás havia prometido pra mim mesmo que jamais entraria nessa barca furada novamente. Onde tu só remas e não para de se afogar. Permanecer e insistir em um relacionamento onde no minimo a pessoa não confia em ti é querer ficar dando murro em ponta de faca. E isso dói muito. Machuca demais e não é nada saudável. E acredito que pra mim isso já se tornou uma cicatriz faz é tempo, e cicatrizes são feridas, e não é legal ficar remexendo em feridas não. Tu podes jurar com toda a tua sinceridade do mundo, mas não vai adiantar nada. Se a desconfiança prevalece, nada é feito. Fiz tudo isso e não adiantou nada. E na mesma hora depois percebi que eu tava fazendo besteira. "Meu, o quê que eu tô fazendo?". Percebi que eu tava me apedrejando. Tava derramando lágrimas em vão, porque a desconfiança tava lá. Predominando. Eu não preciso ter que ficar provando absolutamente nada pra ninguém. Eu cansei desse negócio de querer com que as pessoas permaneçam na minha vida de uma forma que elas não são. Eu não posso pedir e exigir que alguém mude. Cada um tem uma forma. O que me resta é aceitar ou não. Respeito, mas eu também tenho a opção de se vou querer isso pra minha vida. Independente se eu tô apaixonado, eu primeiramente tenho que me amar. Me colocar em primeiro lugar. Eu cansei de esquecer que eu existo. Agora outra coisa também que jamais eu esperava era que um amigo fosse tomar atitude de moleque! Sempre o achei meio sem noção por algumas situações de convivência, mas não esperava que isso fosse pra tanto. Acabou que conseguiu destruir com um relacionamento meu, mas também serviu pra me mostrar que a pessoa não confiava em mim o suficiente pra conseguir manter a paz entre ambos. E é como eu sempre digo, traição de amigo é pior que de marido. Porque traição de amigo nunca esperamos. E hoje a dose foi dupla e forte. 

segunda-feira, 20 de junho de 2016

DETALHES SEM IMPORTÂNCIA


 Nos últimos tempos aprendi uma coisa sábia. Aprendi que nem tudo precisa ser falado. Muitas coisas são bobas. São apenas detalhes mínimos sem nenhuma importância. Têm coisas também que precisamos guardar pra nós mesmos pra evitar confusão, brigas e desentendimentos. Aprendi que devemos manter segredos que não devemos contar nem pra nós mesmos. Não por questão de ser mentiroso e desonesto. Questão de precisar saber realmente o que precisa ser exposto e falado. 

sexta-feira, 17 de junho de 2016

HOJE EU AMOLECI



  Engraçado como depois que passa toda a raiva começamos a pensar melhor em tudo que aconteceu. Hoje me caíram lágrimas olhando pra tua foto e perguntando "por que" que tudo tinha que ser assim?! Por mais que eu tenha endurecido, hoje eu amoleci. A real é que tudo o que eu mais queria era que tivéssemos uma conversa digna. De duas pessoas adultas e civilizadas. O que mais me entristece é que nem convivemos direito, nem tivemos oportunidade de fazer praticamente nada juntos. Eu esperneei desejando que tu se explodisses e que sumisses da minha vida. Mas claro, não tenho sangue de barata. Depois de ter lido coisas como "o erro foi se apaixonar", "tenho medo de você fazer besteira comigo se for me ver pessoalmente" e "acho que não sinto o que eu achei que sentia". Queria que eu agisse de uma forma mais conformada do mundo? Eu tenho sentimentos. Ainda sou apaixonado sim. Mas se for pra não ser mais de fato, que tudo isso passe. 

quinta-feira, 16 de junho de 2016

MAIS UM LIVRO FECHADO


 Estou seco. Frio. Sem emoção alguma, mas ao mesmo tempo cheio de pensamentos e coisas pra falar sobre esse furacão que passei. Acho que foi o pior tipo de relacionamento que já tive com alguém, sabe? porque por mais que os outros tenham sido muito doloridos no final, esse foi pior. Os outros não alimentaram isso. Não ficaram me colocando lá no alto pra depois me jogar do mais alto possível. Não ficaram falando que estavam apaixonados por mim (até mesmo chegou a dizer MUITO) em uma semana, depois comentar sobre namoro em outra e na mesma semana acabar com tudo por causa de coisas fúteis e principalmente por mensagem. Sempre achei que terminar tudo por mensagem fosse a coisa mais covarde que um ser humano podia fazer. Por mais que tu estejas decidindo aquilo de longe, a melhor coisa que tem é tu chegares com alguém pessoalmente, olhar no olho e dizer o que tem pra dizer. Eu gosto de sentir, gosto de ver. Gosto do contato. Nem que seja o último. O pior de tudo isso é que eu me abri como nunca me abri pra ninguém. Contei todas as minhas dores. Todos os meus medos e receios. Aí a pessoa vem com o papo de que tá terminando tudo, porque é melhor pros dois. Mas a real é que essa opção é melhor apenas pra ela. Pois eu me tornei só mais um problema. Chegou um momento em que ele decidiu colocar tudo numa balança e só conseguiu ver os lados ruins. E só. Esqueceu de todo o resto. Esqueceu de como era bom passar o dia conversando, contando as coisas do seu dia a dia, dos seus medos, das suas frustrações presentes e passadas, de como foi bom estar junto. Trocando beijos e abraços. De como era tão tranquilo estar presente um com o outro. De como as coisas fluíam super bem quando nós dois estávamos perto. Mas é isso aí. Essa história de que será melhor pros dois foi tudo uma desculpa pra se livrar de mim, porque eu me tornei só mais um problema. Problema todo mundo tem. Erros todos cometem. Defeitos todos têm e por aí vai. O fato é que ele acabou criando uma projeção de pessoa perfeita, e com o tempo foi descobrindo os meus defeitos e foi querendo cair fora. Não esperou nem se quer conviver de verdade. Se baseou tudo por um aplicativo de conversa. Por isso que prefiro evitar conversar muito por whatsapp. Muitas vezes uma mensagem pode ser interpretada em um tom de arrogância ou algo do tipo, e isso destrói muito as coisas. Agora a gota d'água toda foi achar que eu podia querer ver pessoalmente pra fazer alguma besteira com ele. Além de achar que eu me tornei só mais um problema pra ele, ainda quis dizer que eu sou uma espécie de gente doente. Gostar não é nada disso. Gostar é procurar compreender. Aceitar os defeitos. Ter paciência. Tentar moldar tudo aos poucos. Principalmente porque eu me abri. Eu contei tudo sobre mim. Todos os meus medos. O minimo que eu esperava era compreensão, paciência e que isso iria mudando com o tempo. Nem tudo são mares de flores. Mas é isso aí. Eu jurava que iria estar na merda. Que iria ficar triste. Jogado pelos cantos. Chorando. Sofrendo. Mas eu acho que já levei tanto tapa na cara que endureci. Sinto também que tô mais forte. Bem mais forte. Eu tô bem e vou ficar bem melhor. E vou levar tudo isso como um aprendizado, mas também vou levar como uma das maiores frustrações que um ser humano podia ter me proporcionado. 

quarta-feira, 15 de junho de 2016

GRANDE FRUSTRAÇÃO


 Chegou o tempo que tenho pra falar algumas coisas pra expurgar tudo o que me dói.. Tudo tem ficado muito confuso, cada vez mais sinto que você me alcança menos e acho que esclarecer algumas coisas pode ajudar. Você diz que gosta de mim, mas talvez  esteja enganado. Se apaixonar é compreender. Talvez você goste de quem você é quando estou por perto. Talvez você goste apenas da ideia que tem de mim, e isso não sou eu. Isso é você querendo que eu caiba nos seus anseios, nos seus desejos. Vê? Isso é você gostando de si mesmo. Essa é a soma das suas perspectivas, que muitas vezes não condiz com o real. Nesse caso, não tendo eu outra alternativa além de ser o que eu sou, a você restam duas opções: me ame, ou me deixe. Me queira com tudo o que eu tenho de bom e de ruim, com todas as idiossincrasias e as pequeninas coisas que muitas vezes você nem considera correto. Entenda que eu não escolhi e nem tenho culpa de ser cavalo selvagem:  o fato de você conseguir cavalgar comigo depende unicamente da sua destreza. Entenda que eu sou como um gato, variável , inconstante, mas sempre honesto: uma vez que se sabe lidar com ele é garantia de carinho e apego eterno. Caso contrário, arranhões e comportamento arredio são inevitáveis. Caso contrário, se prepare pra me ver fugir ou te ignorar. Quem quer conviver com bichos selvagens deve estar preparado para as intempéries. No mínimo existe a garantia de surpresa e nenhuma previsibilidade, nunca se sabe o que pode acontecer. Pra uns isso pode parecer desesperador, para outros é apenas imensamente emocionante. É sempre seu direito botar na balança e decidir se quer viver assim na corda bamba, numa aventura sem roteiro pré-estabelecido. Mas se me quer por perto, deixa-me ser.  Não me tome por pretensioso por falar desse jeito sobre mim mesmo.  É apenas uma tentativa de que eu e você descubramos se existe realmente algum laço real, ou se ele é feito de filó. Você diz que está escolhendo o melhor para nós dois, mas a real é que tomar uma atitude covarde de terminar tudo por mensagem, nem se quer fazer questão de olhar no meu olho pra dizer que não quer mais e agir de uma forma super egoísta só vai piorar essa minha cabeça doida. Decifra-me, ou te devoro. Sem dó nem piedade.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

É TUDO MENOS DO QUE TU ESPERAS


 Eu acabei constatando que eu fico muito revoltado quando as coisas não são recíprocas. Eu nunca espero demais, eu apenas espero o mesmo. No minimo alguma forma de demonstrar que também é, sabe? E minha grande frustração da vida é que muitas vezes acaba não sendo. Muitas vezes acaba sendo escroto demais. Eu sou muito minimalista e observador. Talvez o problema more aí. Eu acabo notando qualquer detalhe e qualquer falta de retorno. Mas eu também prefiro acreditar que é bom eu ser assim. Observador. Porque assim eu consigo enxergar muita coisa. Posso sofrer com aquilo, mas é bom sofrer enxergando do quê ao contrário. É bom notar, sofrer e depois superar. Virar a página. Isso me deixa enlouquecido ao ponto de pensar e concluir em pôr um fim em tudo, literalmente. As pessoas são egoístas, não generalizando, é claro. As pessoas dizem um "eu te amo" sem saber realmente o que é amar de verdade. O que é gostar. O que é se preocupar com o bem estar do outro. Eu sou muito em tudo. Ou eu sou amoroso demais ou eu sou frio demais. E a segunda opção acaba vindo quando já passo por grandes frustrações. É ruim tu se preocupares com alguém e isso não ser recebido de uma forma minima. Independente se é amizade ou paixão. Que seja algum tipo de relação. Pior ainda é descobrir através de uma relação que a amizade não é como tu pensavas. Muitas vezes tu demoras a enxergar coisas ruins dos outros, mas como eu sempre falo, uma hora sempre fico sabendo de tudo e o que me resta é saber lidar e superar. 

quinta-feira, 28 de abril de 2016

MAIS UM LIVRO QUE SE FECHA


  Tô com umas coisas pra falar há alguns dias sobre isso e agora tive tempo, realmente, pra poder falar sobre. Eu basicamente não sei como começar isso, porque é algo muito embaraçoso e ainda me dói um pouco. Mas eu preciso falar. Escrever sobre pra eu poder me libertar de mais essa experiência, digamos assim. Eu já até falei algumas vezes sobre isso nos textos anteriores, só que agora acho que chegou o momento de concluir tudo e fechar mais esse livro. Eu já venho reparando há um tempo que tu cada vez mais me alcanças menos. Eu não consigo mais ver aquela pessoa que eu conheci no início. Que me dava muita atenção, que vivia falando comigo e que eu sentia que me queria por perto. Eu não sei ao certo o que aconteceu. Minha dúvida é se o erro foi falar que eu tava gostando de ti. Se foi ter pedido uma segunda chance e voltado ou se foi ter estragado tudo, ter dado uma pausa em nós dois por seguir o que o meu coração tava sentindo. Ou se todas essas coisas ao mesmo tempo foram se acumulando e fazendo com que tu se afastasses cada vez mais. Só sei que eu senti que tudo ficou diferente quando eu cheguei contigo e disse que tava começando a gostar de ti e que eu tava receoso quanto à isso. Eu não consigo esquecer aquelas duas semanas minhas de desespero. Em que eu corri atrás de ti direto, porque eu tava me sentindo mal. Sentindo que tudo tava desandando entre nós dois. Por mais que tu me dissesses que tava tudo tranquilo, eu sentia que tinha algo errado. Eu já tinha percebido a diferença do início. As mensagens diárias já não existiam mais. Os convites pra se ver também já estavam diminuindo e a falta de contato pra apenas se encontrar e eu ver que tava tudo tranquilo, como tu mesmo tinhas dito, era grande. Eu fiquei dias sem saber se quer uma notícia tua. Não havia sinal de preocupação da tua parte. Nem se quer uma mensagem de "Tu estás melhor?" "Tu estás bem?". NADA. E conforme ia passando o tempo, isso ia me deixando cada vez mais desesperado, porque cada vez mais eu sentia que eu tava realmente apaixonado por ti. E tava caindo a ficha que tu não querias mais contato, não querias mais saber de ficar comigo. Até que numa sexta-feira à noite eu decidi expurgar tudo o que eu tava sentindo e querias que tu soubesses que eu tava esgotado. E a única resposta que eu obtive foi "Não sei o que falar. Só sei que saímos de sintonia". Sintonia? Tu querias realmente manter a sintonia entre nós dois se afastando desse jeito? Isso não existe! Aquela frase me revoltou bastante, porque eu fiquei durante DUAS SEMANAS correndo atrás. Chorando que nem um desesperado. Berrando com a cara no travesseiro e chorando pra ninguém de casa ouvir. E tu vens com essa de "não estamos mais na sintonia"? Seria engraçado se não fosse trágico. Nesse mesmo dia a conversa foi marcada. Nos acertamos. A nossa noite foi perfeita. Tu me acordando aos beijos de manhã foi uma das coisas mais legais também. Só que eu percebi que isso não é pra mim. Tu demonstrastes mágoa por coisa que fiz no início e achei que tava tudo bem, que tinha passado. Por mais que tu digas que não tem mágoa, eu não acredito. Como tu mesmo dizes "Eu não acredito em palavras. Acredito em atitudes". E é bem por aí mesmo. Se eu continuar nisso não vai ser uma coisa saudável. Tu ficastes com outra pessoa nesse meio tempo e eu me guardando pra ti, só que uma coisa que eu não contei é que eu também fiquei, um dia depois daquela conversinha de "não estamos mais em sintonia". Isso me revoltou muito, cara. No dia seguinte que eu fui pra balada, eu tava decidido a tocar o "foda-se" mesmo, porque eu já sentia que eu tava fazendo papel de idiota. Mas isso não é total justificativa. Afinal, tu fizestes questão de jogar na minha cara coisa que eu fiz no início. Tu não sabes o quanto eu me arrependo disso. Eu sei que as coisas se estragaram desde a nossa parada. E eu meio que voltei desconfiando que não seria legal eu pedir uma segunda chance e tentar tudo de novo, porque eu sempre fui desacreditado em reatar relacionamento. Quando um relacionamento chega no fim, é porque é pra acabar mesmo. E quando isso é decidido é porque acredito que tu tens certeza mesmo que já não dá mais. Quando tu voltas com a pessoa, nada fica a mesma coisa. Tudo fica muito diferente. Há mágoa sim. Há feridas sim. E feridas viram cicatrizes, e cicatrizes são marcas profundas demais que ficam pra eternidade. Mas enfim. Não vai ser legal eu insistir em uma coisa que eu nem mesmo tô sentindo retorno. Em momento algum eu pensei em relacionamento sério, até porque esses tipos de coisas não são planejadas, elas simplesmente acontecem. É tão bom quando acontece naturalmente, sabe? Tu vais ficando com a pessoa, vai deixando de se interessar por outras, só sai com aquela, dormem juntos, fazem programinhas juntos muitas vezes, já começam a se ver toda semana e por aí vai. O problema das pessoas também é achar que só porque a outra pediu mais um encontro, acha que ela já tá toda apaixonada, amando, querendo casar e ter filhos. As pessoas não sabem curtir sossegadas. Curtir em paz sem se preocuparem com o que vai acontecer depois. Mas ah, é isso. Vamos vivendo, né? E veja só. Não me julgue por pretensioso e afobado por eu estar desistindo de tudo. Lembras que eu te falei que não iria mais correr atrás e que se tu quisesses tu mesmo marcarias se quisesses me ver. Caso contrário, eu consideraria um "adeus". Pois bem. Uma semana se passou e nenhum "oi" se quer foi mandado. E o que eu posso concluir? Eu cumpro com o que eu falo. Eu quando gosto, gosto mesmo. Me entrego. Agora quando tô decepcionado demais, chego à ser uma coisa grotesca. 

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O ERRO É SE APAIXONAR OU DIZER QUE ESTAR APAIXONADO?


 Será que a coisa toda estraga a partir do momento em que eu me apaixono? porque é assim que eu sinto, sabe? Eu tava pensando aqui sobre isso e resolvi escrever, como sempre faço pra expurgar todos esses meus anseios. Mas enfim, vamos lá. Só agora pude perceber nesse relacionamento em qual ponto as coisas desandam. Mesmo assim ainda tenho mais uma dúvida nessa questão. Eu não sei ao certo se o problema é se apaixonar ou se o problema é eu falar pra pessoa que eu tô gostando dela. Talvez seja a segunda opção, porque acho que quando nos apaixonamos não devemos falar isso logo de cara, né? Principalmente no início, porque acho que isso assusta um pouco o seu parceiro. No início as coisas ainda estão se moldando. Criando forma. Estão se conhecendo. Vendo como agem um com o outro a cada encontro. Vai ver que o meu erro tá aí. Eu sou uma pessoa muito impulsiva e não consigo conter qualquer tipo de sentimento ou pensamento. Parece que eu tenho uma grande necessidade em falar de imediato, acredito que eu não consigo esperar pra poder falar esses tipos de coisas. É a mesma coisa quando vou escrever, como tô fazendo agora. Se me pinta ideia na hora de deitar, eu tenho que escrever, eu tenho que pôr aquilo pra fora o mais rápido possível, se não eu não consigo pregar os olhos. Não são só as ideias que me afligem. Esse negócio de deixar as coisas pra depois também me agoniam demais. Principalmente sendo algo relacionado à sentimento. Eu gosto de resolver logo, porque a minha cabeça fica uma loucura. Já é uma, por sinal, só que nesses momentos fica pior. E pior ainda é não saber qual atitude tomar. Tudo isso, porque eu sou uma pessoa muito impulsiva e posso ter medo de me arrepender amargamente depois.  

segunda-feira, 4 de abril de 2016

MAIS UMA PÁGINA


  Eu acho que em uma relação o básico de tudo primeiramente é a reciprocidade. Demonstrar no minimo que tu tens afeto ou que seja o menor grau de preocupação possível. Independente ela qual seja, qual nível esteja. Cada pessoa tem o seu tempo obviamente pra gostar de alguém, mas cara, será que é possível mesmo ir ficando com alguém e não ter o minimo de importância pra aquela pessoa? Nos momentos mais terríveis é que ficamos sabendo de tudo. Porque conviver é isso, tu acabas criando algum tipo de afeto. O pior e mais revoltante é quando tu começaste a gostar da pessoa, se abriste pra ela, falaste que estás com receio e a pessoa diz que não tem porque ter medo, que isso não é uma coisa ruim. E na primeira oportunidade de demonstrar que realmente isso não é uma coisa ruim, ela estraga tudo. Meu psicológico não aguenta mais esse tipo de sofrimento. Eu fico acabado. Fico na fossa mesmo. Desesperado. O pior de tudo isso é que a pessoa tá nem aí. E quando aparece diz que não foi intencional te deixar dessa forma, que ela têm as suas prioridades e responsabilidades. Tá legal. E eu não tenho as minhas? Se a pessoa chegasse comigo dizendo que tá receosa, confusa e angustiada pelo sentimento que tá sentindo por mim, que ela tá precisando me ver pra saber se realmente tá tudo bem, eu dou o meu jeito de vê-la ou pelo menos mantenho-a informada sobre os dias que não vai dar. Não fico inventando que no dia seguinte vamos conversar e desapareço. Quando apareço esculacho jogando na cara que tenho as minhas responsabilidades. Em momento algum eu disse que queria que tu parasses a tua vida pra me dar total atenção. Eu não sou carente disso. Mas eu já sofri demais com relacionamentos, eu apenas queria ter certeza que eu não tava numa furada, queria olhar nos teus olhos pra ver que tá tudo bem. Era apenas disso que eu precisava. Mas chega, tu já demonstrastes que não tá se importando. E foda-se o que tô sentindo, né? Só sei que lavo as minhas mãos e deixo estar. Cansei de procurar, cansei de correr atrás que nem um desesperado implorando um pouco de compaixão. Só sei que depois disso tudo eu tranco meu coração e jogo a chave fora. E vamos seguindo a vida. 

quinta-feira, 31 de março de 2016

RECIPROCIDADE


 Eu sempre espero demais dos outros. Na verdade, eu sempre espero que façam e demonstrem a mesma coisa que eu. Acho que aí que tá o problema da coisa toda. Reciprocidade não é tão igualável. Mas eu gosto de sentir que a pessoa gosta. Que ela tá na mesma vibe, sabe? Eu fico me sentindo um trouxa quando falta alguma coisa. Quando falta um contato. Quando falta um abraço. Até mesmo um "tu estás bem?" no dia. Eu odeio esse negócio de ter que se ver todo santo dia, de ter essa necessidade de se tocar todo santo dia. De tá pessoalmente, saca? Eu gosto de sentir saudade, porque ela renova a coisa toda e faz com que tudo dure. Mas eu também gosto de saber como a pessoa tá. Sei lá. Esse texto é bem, como na maioria das vezes, pra expurgar todos esses anseios e pensamentos que me afligem e me preocupam tanto. 

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

EX LAÇOS


 Eu às vezes, me questiono muito sobre porque algumas pessoas deixam de fazer parte das nossas vidas. É triste perceber que já foram muito importantes e hoje em dia não significam mais absolutamente nada. Falo no geral mesmo, sabe? Das pessoas que foram meus amigos e que namoraram ou apenas ficaram também. Não é chorar pelo leite derramado e nem se arrepender de ter terminado esses laços. É porque é um negócio muito louco mesmo. Um dia você está louco pela pessoa. Gosta demais. No outro dia ela já não faz mais parte. É só uma reflexão óbvia, mas que todos deviam se questionar um pouco.