sexta-feira, 25 de novembro de 2011

REFLETIR



 
Chegou a hora em que eu preciso fazer uma escolha: Continuar caminhando calmamente ou morrer. Meus sentimentos estão se enrolando, complicando as coisas. Percebo cada vez mais que você está cansando, não tô afim de te perder e acho que mudar algumas coisas não faz mal.
 Você diz que não quer desistir, mas tudo o que persiste em se manter da mesma forma, acaba tendo um final nada agradável. Preciso controlar meus anseios, saber separar o que é sentimento e o que é trauma. Meu coração sangrou demais, mas não posso deixar que essas cicatrizes destruam o nosso bem estar. O nosso projeto, algo inesperado que acontece na vida das pessoas. Não posso deixar que meu amor se destrua.
 Seria uma presunção da minha parte impedir o destino, mas se eu vejo que posso seguir com as regras do jogo, mantenho a calma e sigo com toda a cautela possível. Eu persisto em dizer que não mudamos, mas sim que aprendemos. Mas mudar, não vai fazer com que as coisas compliquem. Vou procurar deixar tudo mais leve, curtir a vida e ser feliz. Vou deixar todos os meus traumas lá em baixo, vou estudar minha mente detalhe por detalhe. Sei que as coisas vão melhorar, afinal, tudo passa. E nós vamos estar ali sorrindo depois de toda essa "tragédia".
 O que eu sinto vai além dos meus limites. O meu amor por ti é de tamanha proporção, tanto que está me fazendo bem. Minha cabeça não é mais a mesma de antes. Hoje em dia eu tenho a minha grande motivação de viver. Só quero uma coisa, apenas uma: Ser feliz contigo eternamente.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

DUAS OPÇÕES


 
 Eu sempre deixei bem claro que as coisas não são fáceis no meu mundo. Você persiste em caminhar aqui dentro, todos os meus caminhos são cheios de tempestades. Fica aí persistindo em andar na minha estrada, que não tem obra que concerte por completo.     

  Creio eu, que sempre serei um garoto cheio de qualidades e defeitos. Defeitos que destroem todas as minhas chances de viver em paz, não tenho culpa se o meu mundo é um desconcerto por si só.  Tô tentando manter a calma, buscando todas as minhas peças novas que concertem esse meu pequeno monstro. Que apesar de ter melhorado a mente, em ser um garoto mais bonzinho. Meu coração está cheio de cicatrizes, a minha alma está perdida e não sabe pra onde ir. Chegam horas na vida em que penso em esquecer o mundo real. Sinto dor, eu choro, fico alegre, triste. Tudo como qualquer ser humano sente. Você diz que sinto dores, porque eu quero. Se eu escolhesse as minhas dores, não sentiria tantas em uma elevação tão forte. Não gritaria de dor, não me sufocaria quando meu coração estivesse sangrando. Sou humano, tenho sentimentos. Tento manter a maior calma possível, juro que sim. Mas existem palavras que machucam mais que um tapa na cara. Não sou rico no vocabulário das frases, por isso termino aqui. E só restam duas opções: Me ame ou me deixe.

sábado, 19 de novembro de 2011

IR ALÉM DO MEDO


 Há algum tempo me aconteceu algo inesperado. Defino como um presente, alguém que veio do universo, de um mundo novo. Alguém que me fez ver outro conceito quando defino um ser humano. Mas é claro, seria uma presunção da minha parte definir completamente uma pessoa específica. Quero apenas dizer com algumas palavras, o que ela me faz sentir.
 Não sou muito bom nas palavras, tento ao máximo me expressar da melhor maneira possível. Tento e o negócio sai ao meu alcance.
 Quero expor em palavras, todos os meus anseios, desejos, vontades e sentimentos. Achava que nunca mais iria me entregar pra alguém dessa maneira. Já tinha metido na minha cabeça que só iria querer brincar, nada mais além disso. Minhas feridas antigas fizeram com que meu coração tivesse medo de sangrar novamente. Meu corpo se limitou e deixou bem claro que não tinha mais energia suficiente pra se destruir. Meus olhos já estavam secos, não havia mais lágrimas. Quis ficar livre de amar loucamente alguém, de se entregar por completo ao amor. Deixei minha cabeça relaxada por um tempo, busquei coisas que fizeram com que eu melhorasse em vários aspectos.
 Com o tempo, percebi que eu sentia falta de alguém. Um carinho especial, uma pessoa que estivesse ali pra me dá carinho, me abraçar com toda a vontade e me ouvir. E claro, que eu pudesse fazer o mesmo. Só que eu tinha chegado a conclusão que não existia pessoas assim, o medo tomou conta totalmente. Era um receio de sofrer, de sangrar. Mas deixei, foi quando conheci alguém tão especial. Tudo que eu sempre quis, que eu sempre pensei em ter.
 Tipo de pessoa que sabe me ouvir, que me abraça quando estou precisando. Me mostra cada caminho que eu desconhecia, caminhos que eu tinha medo de tentar. Quando te abraço, parece que meu mundo fica mais leve. Meu corpo fica totalmente relaxado, quieto. Minha mente parece fluir e se liga só ali, naquele colo totalmente seguro. Eu viajo completamente no seu ser, minha boca derrete nos seus lábios. Meu corpo se sente livre perto do seu. Seus toques, seus carinhos. Algo que faz eu me sentir tão leve, alguém que eu posso confiar pra tudo. Única pessoa que sabe de todos os meus lados, que me conhece totalmente, que soube fazer com que eu pudesse me sentir livre e leve perto de si. E sei que quando eu cair em uma tempestade, você estará no fim dela só me aguardando pra dar aquele abraço e me fazer feliz.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

GRUPOS

 
 E quando as pessoas se identificam, sem ao menos questionar algo? Aquilo tudo vai se juntando de uma forma totalmente natural, que vem. São cabeças diferentes, mas que conseguem pensar sobre vários aspectos juntos.
 Quando surge algo complicado, o que resta é todos agirem pra melhorar. Um grupo de pessoas e amigos é o que faz isso acontecer, rolar. Deixam tudo mais organizado.
 É só ter uma porrada total, e parece que tudo se destrói tão facilmente. As pessoas esquecem o que já aconteceu, do que viveram. Sentimentos se vão, cabeças não conseguem mais pensar. O amor daquele grupo vai se desfazendo, pessoas vão indo embora. Pedaços de células pelos caminhos andados, lágrimas e sangues marcando todos os seus passos.
 Quando você para pra observar, vê que nada era como antes. Que estão ali, almas cansadas de tudo. Acho que os humanos não têm paciência pra manter um grupo até o fim, infelizmente é assim. Um grupo nunca se mantém até o final, nunca que vão agüentar todos os sacrifícios. Alias, são humanos. São seres vivos. São monstros.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

SOBRAS NA MENTE


 Existem alguns pontos, existem algumas lembranças. Tudo que já foi dito, o que foi lembrado e tudo que foi falado. Alguns segredos revelados. Alguns fatos passados. Minha cabeça parece ser ágil e prefere guardar todas essas malditas lembranças, ficam ali guardadas no mais profundo pensamento. É só me distrair, lá vem algo de longe.
 As palavras ditas vêm na cabeça. Na hora é aquele gelo na barriga, coração acelera. Por mais que tenha toda aquela confiança, às vezes, a mente nos deixa frágil. Os pensamentos ficam totalmente voltados a aquilo, que mete medo, que amedronta.
 Por mais que eu tente esquecer, a minha cabeça insiste em deixar tudo isso guardado. Por mais que eu tente não sentir medo, meu coração acelera cada vez mais quando me vêm essas lembranças. Vou procurar ter o controle de tudo isso e tentar ver que o mundo de hoje também é real.  

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

MISTO DE UM SEM VONTADE

  Hoje acordei com a cabeça totalmente desconstruída. Sem passos objetivos, sem vontade de nada. Estou aqui me arriscando, escrevendo isso em uma área de trabalho. Resolvi escrever logo, pois é ideia de momento, algo que não dá pra ser relatado depois.
  Me olho no espelho e me sinto horrível. A cara toda desconfigurada, a mente cansada e lenta. Já to há cinco dias meio ruim. Tô melhorando, mas acho que não estou mais com paciência pra ficar suportando todo esse processo cansativo. Minha alimentação diminuiu. Sinto que estou mais magro. Tô tentando achar uma forma certa pra esse meu cabelo. São coisas pequenas, bobas, eu sei. Mas quero me sentir bem como antes, acho que estou desesperado por estar assim há um tempo. Me sinto inútil, frágil. Não fiquem achando que eu vou cometer algum ato de suicídio, nem to pensando nisso. Mas eu queria apenas hoje, só hoje. Sumir.