segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

TUDO PRA FORA


 Não sei nem como começar esse texto, até porque nem queria necessitar de começa-lo. Mas como eu sempre digo, escrever é uma forma de válvula de escape pra colocar pra fora todos os meus anseios e tormentos. Mais um fim de um relacionamento. Depois de 5 anos aqui estou eu sentindo essa dor terrível novamente. Essa dor que vem de perder alguém que amamos. É incrível como as pessoas deixam pra se revelar no final das coisas, né? Acabei me apaixonando por alguém que nunca existiu. Aparentava me respeitar, respeitar o que eu fazia, respeitar e ficar numa boa em relação as minhas diversões. Às minhas baladinhas com os amigos, às minhas noites de cervejas, danças e conversas. Mas eu me enganei. Tu falaste tanto em projeção, que acabei fazendo uma de alguém que nunca existiu. Acho que acabei ficando tão encantado em estar com alguém, que acabei projetando na minha cabeça o que eu sempre quis em uma só pessoa. Projetei alguém que me desse total liberdade, que me respeitasse, que gostasse de mim e ficasse tranquilo em relação a minha vida. Porque eu sou bicho solto, e gosto de estar no mundo. Tenho os meus momentos caseiros, mas também gosto de sair e ficar até altas horas da madrugada tomando uma cerveja, conversando com os amigos e dançando. E eu achei que estava tudo na paz, que toda essa maré dos últimos dias fosse passageira e que logo iria passar. De fato passou, mas não da maneira que eu esperava. Jamais pensei que tudo terminaria de uma forma mais covarde, que é trocando mensagens no whatsapp. Nunca apoiei esse tipo de forma pra resolver definitivamente as coisas. Sempre achei injusta e covarde. Tanto que quando veio atrás de mim na outra vez, eu decidi sair e conversar pessoalmente pra ver no que dava, porque mesmo que fosse pra terminar, que fosse ali, olhando no olho. Me arrependo amargamente de ter dado essa chance, porque eu já tava decidido e já tinha meio que virado essa página. Dei essa chance pra chegar nesse momento covarde, que foi terminar tudo de longe. Eu não consigo concluir nada agora. Talvez tenha até sido melhor assim, porque não sei se eu iria aguentar ficar com alguém frio. Já passei por isso e sofri bastante. Incrível como eu tenho esse dom de gostar de pessoas que são um cubo de gelo. Eu demorei a me entregar novamente pra alguém, e quando isso acontece eu quebro a cara mais uma vez. Eu tô totalmente desacreditado de relacionamento agora, porque depois de 5 anos tomei coragem e liberdade pra amar alguém novamente, e veja só no que deu. Eu só sei que vai ser, e tá sendo, um processo muito doloroso. Não é fácil perder alguém dessa forma. Principalmente sendo alguém que tu gostas tanto, que tu és louco e apaixonado. Eu jamais esperaria que as coisas terminassem dessa maneira. Lembro que tu me pediste pra eu não escrever texto algum relacionado à ti, mas também lembro que tu disses que jamais faria eu sofrer. E cara, acho que já chega de amar, né? Esse ano em relação à isso já deu. E juro que não quero nunca mais sentir toda essa dor que eu tô sentindo agora. 

sábado, 19 de dezembro de 2015

TEMPO


 Ah, o tempo. Sempre achei que "dar um tempo" em um relacionamento fosse algo massacrador e principalmente que a pessoa quer terminar, mas não tem certeza. Simplesmente não sabe o que quer. Mas começo a ver também que "dar um tempo" também é reorganizar as coisas pra nada se destruir. Só que no meio de tudo isso é agoniante também, porque simplesmente por algum tempo não há contato. Muitas vezes chegamos nesse ponto, porque não conseguimos mais ter um dialogo calmo. Por isso que é necessário em algumas ocasiões. E em relação à esse tipo de coisa também mudei, porque se alguém se afastasse de mim, todo o "gostar" iria diminuindo de acordo com o passar dos dias e a falta de contato. Por isso eu tinha tanto receio de "dar um tempo". Mas hoje em dia não, acho que quanto mais tempo passa, a única coisa que muda nisso tudo é a saudade que só aumenta. 

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

FIM DE MAIS UM LIVRO


 Já passei por muitos fins dolorosos. O fim de coisas boas é sempre ruim, não é mesmo? Mais uma vez tô passando por um processo desses. Já venho percebendo há dias que eu já devia ter saído fora faz é tempo. Percebi que tu és o tipo de pessoa que eu temia, e o pior de tudo que acabou acontecendo o que eu mais tinha receio: Me apaixonar por ti. Acho que voltei à história de 2009, não a mesma coisa. Mas há uma analogia entre a atualidade e aquele tempo. Eu acabei me envolvendo com uma pessoa fria demais. E com todo o sentimento que tô sentindo as coisas poderiam ficar complicadas, só que mais por meu lado, porque quem gosta mais acaba se ferrando mais. Acho que deve ser tudo de uma forma igualitária pra quantidade, hein? Eu achei que estava com uma pessoa que se encaixava não em todas, mas a maioria das minhas perspectivas, só que eu acredito que me enganei. Eu consigo e gosto de ficar uns dias sem se ver, gosto de sentir saudade pra renovar a coisa toda. Mas também pelo menos nos meus dias totalmente livres, um deles eu gostaria de matar as saudades e sempre deixo reservado pra tudo isso. E contigo é diferente. Acho que pra ti tanto faz. Talvez o problema não seja tu, e sim eu. Eu, porque eu gosto demais. Eu, porque voltei a sentir emoção e comoção. E acho que isso tá um pouco fora do meu controle. Acredito também que eu esperei muito reciprocidade, mas não foi bem assim. Eu sou uma pessoa traumatizada com frieza. E acho que agora me caiu a ficha que isso não é mais pra mim, que eu não vou mais ter saco pra ter que aguentar todo esse mar gelado. Tu podes se questionar agora, porque eu disse que "te amo" e agora tô abandonando tudo, mas a real é que eu preciso amar de uma forma saudável. Saudável tanto pra mim quanto pra ti. Eu primeiramente devo me amar primeiro, devo lembrar primeiramente que eu existo. Não posso me maltratar. Tu também acho que não estás preparado pra seguir estrada comigo, já que não consegues se quer me confortar de alguma forma quando eu tô jogado com a cara no travesseiro chorando desesperadamente por ti, e a única coisa que sabes dizer é "para de chorar" e mesmo sem resposta minha, some e finge que nada aconteceu. Só sei que agora caiu a ficha que tenho que encerrar esse livro, pra eu me libertar desse sofrimento e seguir a minha vida. Espero que fique em paz, porque sei que bem tu estás. Pelo menos muito melhor do que eu, porque quem sai disso gostando de verdade sou eu. Mas como eu sempre digo: Isso vai passar. Uma hora passa. 

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

TANTO FAZ


 Eu nunca acreditei em perfeição, mas sempre busquei a mesma. Principalmente nas pessoas. Com o tempo aprendi que pra eu ser feliz de verdade, eu devia criar as minhas próprias asas e sair voando livremente sem que nada me impedisse. Acabei criando em torno disso uma forma de continuar sendo feliz estando com alguém, e talvez acho que aí mora o problema das minhas frustrações. Será mesmo que existe alguém que vá respeitar totalmente a minha liberdade? Sem questionamentos quando eu tiver afim de tomar uma, sem questionar se alguém famoso vai me tratar da melhor forma possível do mundo. Será que ela vai ter sempre vontade de me ver nos fins de semana nem que seja um dia? Eu sou uma pessoa muito bem estratégica e bolo muitas coisas na minha cabeça. Sei me dividir pra tudo. Trabalho, família e amigos, pessoas pra ficar e outras coisas mais. Será que isso é um problema? porque muitas vezes me reservo pra algumas pessoas e elas simplesmente não dão bola pra isso. É como se fosse "tanto faz" em sair comigo, sabe? Eu não vejo aquela obrigação de sempre ter que me ver, de sempre ter que sair comigo. Mas tudo depende da vontade. E acho que quando diz que tá com saudade e a primeira oportunidade me deixa de fora, acho que aí vem a contradição e o ceticismo. Acho que contato a distância me faz mal. Na verdade o que me faz mais mal mesmo é amar demais as pessoas, eu amo tanto que isso me faz até mal. Esse sempre foi o meu problema. Nunca que numa relação será a mesma quantidade de se gostar. Sempre tem alguém que gosta bem mais, e essa pessoa se machuca muito. Pois sempre se espera algo recíproco. Acho que demonstração de carinho e afeto é ruim pra algumas pessoas. Ou é assim, porque muitas vezes se sentem enojadas de tanto carinho por elas. Eu devo ser um bicho difícil de lidar. Sou teimoso, sempre tenho o que questionar, sempre ando pensando muito em tudo, sou libertário demais, sou bicho solto mesmo. Mas uma coisa que jamais vou ser é desrespeitoso. Isso jamais. Por hoje é só, eu acho...

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

POR QUE NOS APAIXONAMOS?


 Por que que nos apaixonamos? Qual a lógica disso acontecer?
 Tu ficas frágil. Mais sentimental, mais sujeito à se machucar facilmente. Isso acontece com mais facilidade quando muita coisa se mistura. Quando tu estás com saudade, quando estás carente, quando estás mais sensível. O mais complicado quando a situação não está em uma forma recíproca dos sentimentos. Tu estás apaixonado, a outra pessoa não. Ela pode até tá gostando de ti, mas gostar não é estar apaixonado. Existem diversas maneiras de se gostar de alguém. E o apenas "gostar" é o mais leve dessas formas. Tu estando apaixonado fica mais propício a se machucar e se comover. Outra coisa que questiono também e fico pensando muito quando tô numa situação dessas é: Será que é bom mesmo eu ter voltado com os meus sentimentos? Será que é bom mesmo eu estar apaixonado? Será que vale a pena mesmo sentir que não está desalmado? Pois eu fico achando que quando estamos "frio", ficamos mais protegidos de se machucar. A minha vontade é de jogar tudo pra cima e sumir. Sumir e não sair nunca mais de onde eu devia ter saído. 

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

TEMPO


 Eu acho que não sei lidar com esse lance de "dar um tempo". Eu fico apavorado, porque pra mim parece que a pessoa vai embora de vez, que vou perdê-la ou que se voltar vai ser tudo diferente. Desde o meu primeiro relacionamento carrego esse tipo de pensamento comigo. É muito ruim pensar dessa forma, por mais que eu tente relevar e tentar ver por um lado melhor. Meus sentimentos voltaram depois de cinco anos. Me comovo fácil. Depois de todo esse tempo me sinto vivo e com a minha alma de volta. Mas sei também que tô sujeito a me machucar e tô menos protegido. Não quero jamais ter que voltar a ser frio e sem sentimentos, mas também não quero ter que ficar frágil. Sujeito à se machucar demais novamente como no passado. E meu maior medo é esse, porque sentir esse tipo de dor é demais terrível. É apavorante e agoniante. Outra coisa que é frustrante é perceber que não devo e nem posso me abrir, porque levo cortadas. Fico com aquele lance de "cala a tua boca, meu. Tu só falas asneiras e coisas bobas" E assim sendo, resolvi guardar absolutamente tudo pra mim. Aprendi que jamais devo ser tão aberto e claro com meus sentimentos. Que jamais devo esperar por reciprocidade. E é isso. Serei o meu próprio amigo. 

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

RELATOS DA MADRUGADA


 São duas da manhã e eu tô aqui com a cabeça à mais de mil, e quando tô assim preciso botar pra fora tudo o que tô sentindo e pensando e a melhor forma pra isso é escrevendo. É a minha grande válvula de escape pra aliviar os meus anseios. E detalhe, pela primeira vez não estou redigindo isso de um computador, e sim do meu celular. Mas vamos lá. As coisas amenizaram bastante. Os meus pensamentos em cima de ti diminuíram, mas quando bate ainda vem forte. Ainda mexe comigo. Eu acredito que não é assim tão fácil esquecer e tirar alguém da cabeça, né? Deitei aqui e comecei a pensar em ti. Gostaria de saber como tu estás, se tá tudo bem, se pelo menos ainda lembra de mim. De como anda a vida. Em momento de raiva e decepção falamos tanta besteira. Aquele lance de que não era mais pra ti não me procurar foi meio que precipitado, porque no fundo eu estava querendo que tu viesses até mim. Eu excluí teus contatos pra não ter que me pegar indo atrás e se ferindo mais ainda. A minha vontade mesmo é de que tu se resolvas, que organizes a cabeça e que venha conversar comigo. Acho que além disso não tenho mais o que falar. Só tava aqui querendo descarregar tudo isso pra dormir mais tranquilo. 

domingo, 4 de outubro de 2015

FINAL DE NOVELA


 Chegamos a mais um final de uma novela, e esse tipo de novela que eu falo nunca tem um final legal. Na verdade acho que isso foi mais um curta do que uma novela, né? Mas enfim, vamos colocar os demônios pra fora. Acho que nunca tinha embarcado com alguém tão confuso e que não sabe nunca firmar o que quer. Uma hora está fofo e tal hora não tá afim nem de conversar direito. Começou a aparecer que eu estava forçando as coisas, mas a sua interpretação não foi das melhores. Eu precisava apenas de uma resposta: Saber realmente se havia algum interesse em mim. Hoje descobri que tu estás preso demais à um passado. Ele ainda mexe muito contigo. Inclusive ainda pensas em retornar pra ele, e foi o que mais me frustrou e fez com que eu largasse da tua mão no meio desse caminho. Largo da tua mão com tamanha tristeza. Pois sempre acreditei que retornar à um lugar onde nada deu certo é persistir em um erro, acredito também que tentar duas vezes onde há erros cruéis é burrice. Já tive experiência sobre isso. Não é pensamento egoísta em desistir de outra pessoa por ela estar envolvida com coisas ruins, mas se houve pedido e mesmo assim as coisas continuam da mesma forma, por que insistir? Mas cada um sabe o que faz. Todos são livres. Jamais vou implorar por atenção e carinho. Esses tipos de coisas têm que ser da forma mais natural possível. Acho que até agora tu deves tá meio cético em relação ao meu sentimento por ti, e eu estou cético também, mas tenho certeza do meu sentimento depois de toda essa tempestade grotesca. O meu ceticismo é só de como fui acabar gostando de um carinha que nunca vi na vida. Tu disseste que era melhor eu me afastar pelo meu próprio bem, mas tu não sabes o que falas. Me afastar de ti vai ser se destruir e cair em um buraco bem fundo nesses próximos dias. Tô sentindo o que eu mais temia. Coração tá sufocado e apertado. Pois eu sei que encontrei alguém que eu poderia dar muito certo, independente se tô pensando em relacionamento ou não. Mas o que eu quero dizer é que meu coração tá doendo muito, pois tô deixando ir embora alguém muito especial. É aquele lance de identificação, sabe? Eu pedi pra ti não me procurares mais, mas acho que a real é que eu vou tá torcendo pra quê tu me procures e diga que vais querer tentar comigo alguma coisa, dar uma chance pra tudo isso. Pois o meu sentimento por ti é verdadeiro e forte. Como eu já havia dito no texto anterior, logo agora que eu já estava conseguindo libertar depois de 5 anos o meu lado sentimental aí acontece isso. Corações machucados passam por um processo de resiliência e se tornam cada vez mais frios. E é o que vai acontecer comigo. 

CORAÇÃO MACHUCADO E CONFUSO


  E olha eu aqui de novo mais uma vez. Parece que quando as ondas que ferem e nos destroem resolvem vim, elas vêm tudo de uma vez só. Pesada e sem piedade. É muito ruim sentir o que tô sentindo. É muito ruim sentir vontade de chorar a todo momento. É ruim perceber que aconteceu algo que eu mais temia. Não quero culpar absolutamente ninguém, mas acho que antes de tudo criar raiz as coisas podem ser evitadas. Não temos controle sobre quem e quando gostar. O coração é traiçoeiro e não nos dá a liberdade de optar por esses tipos de coisas. Logo agora depois de 5 anos que eu tava colocando pra fora o meu lado sentimental de novo, aí mais uma vez ele é machucado e acho que isso vai acabar sendo uma opção pra eu fechá-lo de uma vez, porque pessoas frias se protegem mais e se machucam menos depois. É aquele lance de nada comover, nada sentir e nem se preocupar. É ruim acabar criando esse tipo de proteção, pois isso só se cria depois de se machucar muito. Tu pedes um tempo sem antes dar uma chance pro que pode acontecer. Tu pedes um tempo e ao mesmo tempo dizes que não quer que eu fique longe. Tu dizes que estás confuso, mas acaba me confundindo junto. E isso dói. Dói muito e continua doendo. Porque agora eu percebi que realmente eu tô gostando de ti. Que louco, não? Gostar de uma pessoa que nunca vi na vida. Pois é, nem eu sei como. Não queira que eu explique algo que no momento está sendo indecifrável. Eu pedi pra tu vires até mim quando tiver com a cabeça mais organizada, mas estou aqui louco pra te mandar uma mensagem ou até mesmo chegando alguma tua perguntando como eu tô. E como eu estou? tô bem mal. Chorei a tarde toda no colo até dos meus amigos, coisa que jamais achei que aconteceria de novo. E sim, aconteceu. Aconteceu o pior. Tô machucado. Tô triste, mas eu espero que isso passe logo. E eu sei que uma hora passa. Tua dúvida é se eu ainda vou te querer quando tiver se sentindo melhor, mas de uma coisa eu acho que tu podes ter certeza em relação à isso: Eu vou tá aqui te esperando. 

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

É POSSÍVEL SE APAIXONAR POR ALGUÉM SEM NUNCA TER VISTO PESSOALMENTE?


  Nos últimos dias aconteceu algo que até agora ando não entendendo porque está acontecendo. Conheci um menino na internet e desde então comecei a ter um grande afeto por ele sem mesmo conhecê-lo pessoalmente. Sabe aquele nó na garganta e o coração acelerado que sentimos quando alguém que gostamos muito manda mensagem no whatsapp? Pois é. Eu sinto isso quando ele me manda. E o mais louco é que nunca nem se quer nos vimos pessoalmente, só sei que de fato ele mexe muito comigo. Eu me preocupo. Dou aquele leve sorrisinho quando vejo as notificações no meu celular e lá tá o nome dele com mensagem no whatsapp. Isso é muito surreal, porque será que existe mesmo esse negócio de gostar de alguém sem nunca ter visto pessoalmente? Sei lá. Não tô criando expectativa alguma sobre isso, até porque já deixei de fazer isso há muito tempo desde que comecei a ficar desacreditado de relacionamentos sérios. Só que eu tô animado. Veja bem, estou ANIMADO. É totalmente diferente de criar planos e ir bolando as coisas. Eu deixo tudo ser natural. Nada forçado. Tô me permitindo, com medo, mas tô indo nessa. Aos poucos, sem saber o que vai acontecer. E tô aqui contando as horas e minutos pra vê-lo pessoalmente e poder dar logo um abraço apertado pra ver o que eu vou sentir e o que vai acontecer daqui pra frente. 

sexta-feira, 17 de julho de 2015

PEDIDO DE PAZ E RESPEITO


 Já tem um tempo que venho elaborando esse texto. Acredito que eu estava esperando acumular mais algumas coisas antes de conseguir redigir sobre. Primeiramente é a questão do quê pode e não pode pra sociedade, na verdade, pra quem pode. E tudo nisso envolve se gostam de ti e também se tu és homem ou mulher. Dependendo de quem seja, a situação se torna ridícula, horrenda, feia e tudo mais. Dependendo do gênero, principalmente sendo mulher, algo que tu podes fazer se torna ridículo. Percebo que a sociedade brasileira ainda tem muito pra crescer quando vejo alguma situação dessas. Feio e ridículo é tu ficares julgando alguém por ser mulher, e quando o homem faz a mesma coisa acaba sendo "normal". Pra começar ninguém deve nem mesmo julgar ninguém. Todos sabem muito bem o que fazer. Não é querer cagar regra não, é apenas um pedido de paz e respeito um com o outro. Quem sabe assim o nosso país não se torne melhor, né? 

quarta-feira, 8 de abril de 2015

RETALHOS DE UMA PAIXÃO ERRADA


 Agora sim percebi a proporção que essa história toda tomou. Depois de anos me pego envolvido por esse sentimento louco que é a paixão. Já me apaixonei algumas vezes, mas acredito que essa seja a segunda ou terceira vez que a paixão fica tão imensa e nervosa. Bastou uma vez pra eu sentir o teu carinho, o teu corpo encostar no meu e sentir os teus beijos pra acontecer tudo isso. Tudo rápido demais, eu sei. Até hoje não entendo que quando é pra se apaixonar, as coisas tem que acontecer tão rápido e inesperadamente assim. Só que é ruim perceber que essa paixão toda foi pro caminho e pessoa errada. Há anos também que não sentia tanta frieza. Há anos que não abria tanto o meu coração e ele fosse pisoteado assim da forma que foi. Implorei. Supliquei, mas de nada adiantou. Pois aqui tô eu. Nó na garganta. Ferida recente cutucada. Coração todo retalhado. Coração bateu forte. Faltou sair pela boca quando me peguei ali implorando perdão e mais uma chance. Mas o que me deixa mais triste é agora ter caído a ficha que realmente nem se importa. 

terça-feira, 7 de abril de 2015

QUESTIONAMENTOS


 Agora me pego aqui questionando várias coisas depois desse turbilhão de emoções. Parece que a madrugada é o horário propício pra pensar nessas coisas quando se está só. Eu aqui, tentando me manter firme, deixar minha aparência mais intacta possível pra não demonstrar nada. Questiono. Por que se quer não vem até à mim perguntar como estou? Não se preocupa mesmo em saber meu estado de espirito? Não se preocupa em saber que meu coração tá se corroendo? Não tem o mínimo interesse em saber se estou realmente bem? Eu juro que não foi proposital, pois não temos comando nas nossas emoções, sentimentos e afins. O coração é o bicho indomável e que você tem que estar preparado pra todos os tipos de situações. Eu só queria mesmo era te ter nos meus braços, mesmo sabendo que isso não haverá continuidade. Só queria sentir o teu corpo encostar no meu mais uma vez pra eu me sentir confortável. Queria aproveitar o tempo que nos resta. Como eu já disse, assim levaria apenas saudade e ficaria bem em saber que estaria tudo bem entre nós dois. Só queria ver você chegando até à mim e perguntar se pelo menos tá tudo bem, porque ainda tá doendo. Só queria de fato saber que você pelo menos se preocupa comigo. 

segunda-feira, 6 de abril de 2015

SURPRESAS E MACHUCADOS


 Bom, vamos lá. 2015 tá aí, mais uma vez um ano me mostrando a realidade da vida. Pessoas que se diziam amigas se revelando. Tirando a máscara pra revelar o verdadeiro caráter. Demonstrando que são contra à todas as coisas boas que podem vim acontecer comigo. Por mais que toda essa demonstração seja em um momento de raiva, tenho certeza que tudo que foi dito foi com as mais sinceras palavras. Depois disso tudo me senti até mais aliviado, por ter esclarecido tudo e tirado um peso das minhas costas que já vinham sendo carregadas há um bom tempo. No meio disso tudo também tive surpresas. Surpresas negativas vindo de pessoas que eu não esperava. Mais uma vez a vida me mostrando que as pessoas são cada vez mais menos confiáveis. De gente assim eu preciso ficar bem longe, e é o que eu mais quero. Por mais que toda a verdade seja a mais cruel, tem que ser mostrada pra levar esses pontos negativos pra bem longe. E agora, em plena época de tá quase indo embora da cidade. O meu coração, que ultimamente tinha sido tão frio resolveu se apaixonar. Esses tipos de coisa não estão no nosso controle. Acontecem quando menos esperamos, e muitas vezes quando menos queremos. Eu simplesmente não queria, porque eu sabia perfeitamente que eu tô indo embora. Mas a forma cruel e fria de tratar alguém assim não é justificável, por mais compreensível que possa ser quando estamos do outro lado. Quando estamos do outro lado tudo se torna mais fácil. E pelo visto é até bem mais fácil ser frio e cortar tudo sem dó e nem piedade. Mas é algo que eu não iria querer também, alguém continuar tudo comigo por essas coisas. Não quero ninguém sentindo pena de mim. Eu juro que só queria continuar, mesmo gostando, porque pelo menos eu iria embora apaixonado e saberia que estaria tudo bem entre nós dois. Levaria comigo um sentimento bom, de sentir saudade e afeto. Cortando tudo só vai fazer com que as coisas piorem, porque meu coração agora está machucado. Triste. Com rancor. E pelo visto vou embora assim. Isso vai fazer com que eu volte à ser mais frio do que era antes disso tudo. Vou começar a criar barreiras maiores entre as pessoas que vão querer se aproximar pra ter alguma coisa séria. O egoísmo como sempre prevalece. Como eu disse, estar do outro lado é muito fácil. É "não tenho sentimentos mesmo, é melhor cortar pra eu não ter dor de cabeça alguma". E não sei porque isso ainda me surpreende. Eu saberia dosar os momentos, não deixaria isso crescer mais. E se crescesse não iria ter tanta importância, porque eu indo pra longe uma hora acabaria. Afinal é só paixão. Mas pelo menos não levaria comigo coisas negativas e saberia que tudo iria estar bem entre nós dois. 

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

AMIGO É PRA VIDA TODA?


 Amigos existem de todas as formas. Acho muito estranho como o tempo mostra o comportamento de cada um. Uns que eram grandes, hoje são pequenos. Até mesmo não representam mais nada. Uns deixam saudades pelo fato da vida afastar naturalmente, pois com o passar do tempo a maioria vai começando a ter responsabilidade. Vão amadurecendo e começam a procurar um rumo pra sua vida. Buscar os seus objetivos e traçar metas. Outros se afastam sem mais e nem menos. Acham outros que possam ocupar o seu lugar, porque não vêem mais diversão em juntar os amigos antigos e isso faz com que te cortem das suas vidas. Acho isso muito ruim e me questiono "Será que realmente eram amigos? Será que realmente consideravam muito?" Acho que não, pois quando consideração não é suficiente acontece isso. Procuram se afastar, aos poucos. Vão destruindo aos poucos os laços. Trocam lealdade por algo duvidoso. Ficam cegos. As vezes começo à crer que amigo é um tipo de fase na sua vida. Uma hora tá aqui, dividindo segredos e tudo. Outra hora não tá mais ali pra dar nem um abraço quando você mais precisa. 

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O PRIMEIRO AMOR


 O Primeiro amor realmente é algo que nunca esquecemos, né? E acredito que até hoje eu tenha amado apenas uma pessoa nessa minha vida. Paixão é totalmente diferente de amor. Paixão é algo que uma hora acaba. Amor não. É incrível como não consigo esquecer os melhores momentos que tive no meu primeiro relacionamento, no meu primeiro amor. Falar sobre amor é algo meio clichê, mas algumas coisas sobre ele devem ser ditas. E acredito que mesmo que tudo acabe, você continua tendo amor pelo primeiro. E é isso que acho que aconteceu comigo. Ainda amo. Amo de verdade. Pois não penso mais em sexo, nem atração carnal. Penso em estar somente perto, em poder abraçar. Abraçar forte. Dizer "eu te amo" no ouvido. Conversar por horas. Cuidar. O primeiro amor quando vem, vem forte. Nos agarra de uma maneira incrível. Nos envolve nos braços e faz com que nunca mais esqueçamos das melhores coisas que podem acontecer. E pode ter certeza de uma coisa: Se você não sente mais nada pelo seu provável primeiro amor, então você nunca o amou. 

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

RELATOS DE UM ANO PASSADO


 Bom, 2014 se foi e nem se quer falei sobre ele. Eu sei que é meio clichê falar sobre esse tipo de coisa, mas é muito bom relatar um pouco sobre o que aconteceu em um ano. Na verdade, não vou citar nada por ordem. Tudo montadinho. Vou falar o que me vem na cabeça, o que ficou e o que morreu. Ano de muito trabalho, desde o primeiro mês ao último. Que por sinal foi bastante destruidor e compensatório. Início de uma nova era pra minha banda que já tento reerguer desde 2013. E o fim pra aquela formação, pelo visto, porque até agora nada de alguns dos que fazem/faziam (não sei exatamente) darem notícias pra retornarmos aos trabalhos. Pois sim, quando chega fim do ano tem que dar um tempo pras coisas se acalmarem. Foi um ano também de sentir na própria pele o que é estar sozinho. De se afastar de um monte de gente que se dizia amiga, mas que na verdade eram outra coisa que não gosto nem de citar. De ainda conseguir recuperar laços que eu achava que estavam totalmente cortados. De conhecer novos mundos, novas pessoas. Gente que se tornou companheira. Ano de muita festa e drinks. Ano de iniciar um tratamento pra que eu possa ter uma ótima auto-estima de novo. Que esse ano de 2015 possa trazer ainda mais realizações, mais pessoas queridas e companheiras, menos monstros disfarçados de gente e tudo que há de bom pras nossas vidas melhorarem cada vez mais e nos sentirmos felizes. Que esse ano seja lindo.