quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

FIM DE MAIS UM LIVRO


 Já passei por muitos fins dolorosos. O fim de coisas boas é sempre ruim, não é mesmo? Mais uma vez tô passando por um processo desses. Já venho percebendo há dias que eu já devia ter saído fora faz é tempo. Percebi que tu és o tipo de pessoa que eu temia, e o pior de tudo que acabou acontecendo o que eu mais tinha receio: Me apaixonar por ti. Acho que voltei à história de 2009, não a mesma coisa. Mas há uma analogia entre a atualidade e aquele tempo. Eu acabei me envolvendo com uma pessoa fria demais. E com todo o sentimento que tô sentindo as coisas poderiam ficar complicadas, só que mais por meu lado, porque quem gosta mais acaba se ferrando mais. Acho que deve ser tudo de uma forma igualitária pra quantidade, hein? Eu achei que estava com uma pessoa que se encaixava não em todas, mas a maioria das minhas perspectivas, só que eu acredito que me enganei. Eu consigo e gosto de ficar uns dias sem se ver, gosto de sentir saudade pra renovar a coisa toda. Mas também pelo menos nos meus dias totalmente livres, um deles eu gostaria de matar as saudades e sempre deixo reservado pra tudo isso. E contigo é diferente. Acho que pra ti tanto faz. Talvez o problema não seja tu, e sim eu. Eu, porque eu gosto demais. Eu, porque voltei a sentir emoção e comoção. E acho que isso tá um pouco fora do meu controle. Acredito também que eu esperei muito reciprocidade, mas não foi bem assim. Eu sou uma pessoa traumatizada com frieza. E acho que agora me caiu a ficha que isso não é mais pra mim, que eu não vou mais ter saco pra ter que aguentar todo esse mar gelado. Tu podes se questionar agora, porque eu disse que "te amo" e agora tô abandonando tudo, mas a real é que eu preciso amar de uma forma saudável. Saudável tanto pra mim quanto pra ti. Eu primeiramente devo me amar primeiro, devo lembrar primeiramente que eu existo. Não posso me maltratar. Tu também acho que não estás preparado pra seguir estrada comigo, já que não consegues se quer me confortar de alguma forma quando eu tô jogado com a cara no travesseiro chorando desesperadamente por ti, e a única coisa que sabes dizer é "para de chorar" e mesmo sem resposta minha, some e finge que nada aconteceu. Só sei que agora caiu a ficha que tenho que encerrar esse livro, pra eu me libertar desse sofrimento e seguir a minha vida. Espero que fique em paz, porque sei que bem tu estás. Pelo menos muito melhor do que eu, porque quem sai disso gostando de verdade sou eu. Mas como eu sempre digo: Isso vai passar. Uma hora passa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário