segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

THE LOVE






  Têm vezes que eu me pego pensando no amor. Em toda aquela paixão e "desespero" por alguém. Me pego pensando e sentindo um pouco de falta desses tipos de coisas. Só que logo me vêm na cabeça o quanto que o amor machuca, o quanto que é complicado amar alguém e ter toda aquela paciência e virtude pra lutar e ficar em paz. Já amei algumas vezes nessa vida, já tive e senti amores que transbordam. E hoje em dia nenhum tipo desses me convencem mais, não me satisfazem de nenhuma forma. Posso até sentir uma certa carência em alguns momentos da minha vida, mas nada que algo que seja divertido e carinhoso possa me satisfazer naquele momento. Coisas desse tipo me deixam mais saudável, mais completo e em paz comigo mesmo. E é assim que consigo ficar tranquilo e bem com o meu coração.

domingo, 20 de janeiro de 2013

MONSTROS BONS. ANJOS RUINS






  É como eu sempre digo: A verdade sempre aparece. E isso o tempo me mostra. É incrível como as pessoas tem facilidade de mentir e enganar. Mesmo com a verdade estampada na própria cara, elas procuram sempre fingir. Chego à ter medo dos próprios anjos, e acabo confiando nos monstros. Pra ver o quanto que o mundo está perdido, o quanto que as pessoas estão cada vez menos confiáveis e firmes no que dizem e fazem. De quê adianta ficar querendo se esconder por trás de máscaras se um dia elas vão cair? Máscaras se destroem, e no final a verdadeira identidade aparece.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

QUERENDO DESFAZER


  Depois que tudo muda paramos pra pensar que tudo podia ficar como era antes, que todas aquelas risadas e brincadeiras podiam ficar ali, preservadas e as mantendo pra continuar tudo bem. Sei que não podemos impedir que as coisas aconteçam, mas se eu tiver a oportunidade de adiá-las vou lá e faço. Adiar as coisas talvez seja querer fugir do que pode acontecer, só que essa forma de encarar as coisas me trás felicidade naquele momento. E quando não adio as coisas, bate aquele arrependimento. Fico me questionando por que não deixei quieto, que assim tudo poderia ficar da forma que era antes. As pessoas podem não aceitar seus segredos, e quando resolvemos compartilhar é a hora em que decidimos nos arriscar mais uma vez.