sábado, 30 de julho de 2016

TENTANDO DECIFRAR


 Eu fico tentando te entender. Por mais que eu tente aqui, eu não consigo te decifrar por completo. Nas horas que tu precisas que eu esteja presente acontece, porque lá eu estou. Mas sinto que quando eu preciso tu não fazes o mesmo. Não quero que seja uma troca de favores. Eu quero que seja natural e que seja da própria vontade de me ver. Assim as coisas fluem mais. Ontem a noite fiquei pensando se da próxima vez que tu me chamares eu talvez diga um "não" e encerre toda a história, mas tenho receio e dúvida. Não sei se é isso que quero. Porque quando tô contigo eu me sinto tão relaxado, tão confortável e tão à vontade. O problema é que quando não tô simplesmente parece que fazes de conta que eu não existo. Agora fico nesse impasse que me dói só de pensar e sem saber o que fazer. 

sexta-feira, 29 de julho de 2016

FALTA DE RECIPROCIDADE


 É muito ruim a falta de resposta, de clareza e reciprocidade, né? Quando tu começas a gostar de alguém, o minimo que se espera é que também a pessoa esteja gostando. Tu esperas mais presença, afeto, atenção e por aí vai. Quando percebes a falta disso é uma grande frustração. Tu se sentes vazio, abandonado e parece que tá fazendo papel de trouxa. É ruim esse circo todo dá só uma volta, e essa volta só vai e não volta. Ter retorno é bom. Tu sentires que estás sendo adorado é uma das melhores sensações da vida. Principalmente quando vem de uma pessoa que tu gostas tanto. Pra eu me sentir bem e tranquilo eu preciso sentir esses tipos de coisas da pessoa que eu gosto, que tô me relacionando. Agora fico aqui pensando se realmente fiz algumas coisas certas e se tô mesmo na vibe certa. O tempo me trará boas respostas como toda vez. 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

REFLETINDO SOBRE AMAR


 Como esse lance de amar é complicado, né? Principalmente nos dias de hoje. As pessoas sentem medo de se entregar. As que querem algo à mais sentem bastante medo. Que é o meu caso. Eu não tenho necessidade de ter alguém pra ficar comigo e ter um compromisso sério. Mas quando paro pra pensar nessas coisas me sinto tão vazio e incompleto. Já tô solteiro desde 2011, mas claro que desde lá eu tive alguns relacionamentos sérios. Não chegaram a ser firmados como o bendito compromisso de namoro, mas rolou aquela coisa de ficar só com aquela pessoa, sabe? A única coisa que era diferente mesmo era que não havíamos assumido um namoro, de fato. Nunca se firmaram, porque o receio é muito grande. Sempre depois que finalizo com um, pra começar com outro é uma parada conturbadora. Parece que eu sou campeão em gostar das pessoas erradas. Eu gosto de coisas recíprocas e claras. Na falta disso fico em total desespero. Mas que tudo seja no seu devido tempo. 

terça-feira, 19 de julho de 2016

EU TE ODEIO


 Acho que tinha muito tempo que eu não terminava com alguém e não ficava com tanta raiva. Tudo isso, porque acabei percebendo que tudo não passou de uma perda de tempo. Foram dois meses se guardando, esperando, conversando, conhecendo, se privando de muita coisa mesmo. Não havia nada planejado, mas cada vez mais tu ias alimentando. Quando alimenta a coisa toda vai crescendo. Eu tava cada mais envolvido. Era um mundo muito bipolar. Uma hora eram flores. Outra hora era uma verdadeira tempestade. Daquelas bem frias mesmo. Ainda vens esfregar na cara que me ouvia. Que me dava conselhos. Que conseguia me compreender. Que dormia mais tarde pra poder falar comigo. Cara, essas coisas não se citam, não se jogam na cara de ninguém. Pois ficou parecendo que foi um favor que fizestes pra mim. Eu sinto raiva, porque mesmo eu me guardando, tu desconfiastes demais de mim. Na primeira oportunidade de demonstrar confiança tu estragas tudo. Ai, meu. Que raiva que eu sinto de ter percebido que tudo foi em vão. Eu te odeio muito. Não queria estar sentindo isso, pois não é saudável. Mas sentimento não é uma coisa que está sob nosso controle. 

domingo, 17 de julho de 2016

RETORNO CÉTICO


 Não sei se é saudável retornar à alguém que já te provocou bastante sofrimento. Mas também os sentimentos não estão no nosso total controle. Eu tenho controle do quê devo fazer, mas não sou responsável pelo que os meus sentimentos me guiam. Eu tava aqui pensando agora se voltar a ficar com uma pessoa que já provocou sofrimento é saudável. É como se eu tivesse querendo curar uma ferida, mas talvez apenas eu esteja só remexendo na mesma. Só que quando tô junto eu não me sinto mal. Nem se quer longe, como agora. Mas começou a me passar na cabeça esses turbilhões de pensamentos e minha barriga gela só em pensar que estou sujeito a me machucar de novo. Só que dessa vez eu tô mais frio. Eu não consigo mais me comover e nem sentir absolutamente nada. O que ainda sinto é medo. Medo de passar pela mesma coisa mais uma vez. Mas acho que toda essa minha frieza acaba sendo uma proteção, de certa forma. Quando decidi retornar, eu lembro que havíamos combinado de haver uma conversa. Beleza. Fui lá e não houve conversa alguma a respeito de tudo que havia acontecido. E foi aí que comecei a pensar se realmente eu devia ter ido lá. Aparentamos estar numa boa e algumas coisas foram jogadas no ar. Mas não sei se realmente devo continuar nisso ou se ponho logo um ponto final e enterro toda essa história de uma vez.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

"MAS NÃO VAI DAR CERTO"


 Hoje ao contar que eu tinha voltado a falar com um alguém aí, ouvi o seguinte típico comentário "Mas vocês não vão dar certo". É incrível como é fácil pra quem tá de fora falar e concluir esses tipos de coisas, né? O fato é que só quem sabe realmente das coisas que acontecem é quem tá ali dentro de toda situação. Que tá vivendo aquilo tudo. Porque tu sabes de todos os detalhes. Tu sentes tudo. Se insistes é porque tem algo que tu sabes que pode fazer com que a coisa toda funcione.

SONHO


 Hoje ao acordar percebi que tinha sonhado contigo. Sonhei que nos encontrávamos depois de muito tempo e a primeira coisa que eu fazia era correr pro teu abraço e ficar ali nele por muito tempo. Chorando de felicidade. Sentindo uma paz plena. Uma segurança e confiança incrível como eu senti na primeira vez que te abracei. Aí parei pra pensar na forma idiota e frustrante em que tudo acabou. Isso me deixa muito triste, pois muitas histórias acabam tendo um fim por pura bobagem. Eu acreditava que eu tinha encontrado alguém certo, dessa vez. Eu tava muito na onda de "agora vai". Sabe? Mas acho que me enganei. Pois se quer tu acreditas na minha palavra. Confiança é a a base, e sem essa base as coisas não fluem. Percebi que ainda sou apaixonado. Muito, até. Mas acho que primeiramente as coisas devem ser feitas pela razão e não pela emoção. Se sentimentos fossem o suficiente, muitas coisas estariam dando bem mais certo. O mais triste ainda é perceber que mesmo depois dessas semanas, os teus pensamentos continuam os mesmos. Nada mudou.