terça-feira, 19 de julho de 2016

EU TE ODEIO


 Acho que tinha muito tempo que eu não terminava com alguém e não ficava com tanta raiva. Tudo isso, porque acabei percebendo que tudo não passou de uma perda de tempo. Foram dois meses se guardando, esperando, conversando, conhecendo, se privando de muita coisa mesmo. Não havia nada planejado, mas cada vez mais tu ias alimentando. Quando alimenta a coisa toda vai crescendo. Eu tava cada mais envolvido. Era um mundo muito bipolar. Uma hora eram flores. Outra hora era uma verdadeira tempestade. Daquelas bem frias mesmo. Ainda vens esfregar na cara que me ouvia. Que me dava conselhos. Que conseguia me compreender. Que dormia mais tarde pra poder falar comigo. Cara, essas coisas não se citam, não se jogam na cara de ninguém. Pois ficou parecendo que foi um favor que fizestes pra mim. Eu sinto raiva, porque mesmo eu me guardando, tu desconfiastes demais de mim. Na primeira oportunidade de demonstrar confiança tu estragas tudo. Ai, meu. Que raiva que eu sinto de ter percebido que tudo foi em vão. Eu te odeio muito. Não queria estar sentindo isso, pois não é saudável. Mas sentimento não é uma coisa que está sob nosso controle. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário