sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

PROCESSO DE CRIAÇÃO



  Entrei naquele processo que achamos que temos que renovar, criar alguma coisa. A forma que escolho é me isolar do mundo, das pessoas. Me trancar no quarto, ficar ali em silêncio comigo mesmo.Lá está ele, o violão. Único companheiro que deve estar com você, vai ajudá-lo à criar algo que estiver cutucando sua cabeça. Algo que te pertuba, faz pirar, e não sabe o controle que isso tudo tem.
   É uma coisa louca que está ali, só lá. Seus pensamentos ficam ali, sem rumo. Enquanto você não parar, colocar papel e caneta na sua frente, aquilo fica te cutucando e pertubando. Até você saber expor aquilo e a melhor forma, é criando.
  Aproveitarei este momento pra revisionar tudo que já fiz, tudo que eu já criei com aquela cabeça das antigas. Essa que hoje em dia, é diferente. Mais evoluída. Mais concentrada e organizada na hora de expor as suas ideias e criações.
  Agora ficarei ali, quieto, parado, pensativo. Não forçarei nada, vou deixar rolar e vim, e vamos ver o que acontece e o que vem por aí.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O MEU, O SEU, O NOSSO PONTO DE VISTA E DE EXPRESSÃO!


  Cada qual com seu pensamento e sua forma de pensar, é assim que as coisas são nas nossas realidades da vida. Hoje em dia, cada qual expressa sua opinião da forma que quiser, que seja bem clara ou imoral. O Foda, é que temos os direitos, mas sempre as críticas vem ao lado. Não se pode dizer mais nada que neguinho vai logo enfiando a agulha, vai dando murro em ponta de faca até sangrar e virar cicatriz.
  Acho que cada qual, tem todo o direito de expressar o que pensa. E tudo, não devia ser dessa forma que é. Nada pode ser dito, que vem sempre neguinho te crucificar, dizendo que não é certo, que de alguma forma, é injusto e incorreto.
  Pense da forma que quiser, que achar que tem que ser. Saiba usar sua cabeça da melhor forma, sem pensar e nem se preocupar com o que os outros vão pensar. Acho que esse é o certo, é a minha Opinião. Pronto, agora já podem me crucificar.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

UM PONTO DE FRIEZA

  É um ponto sério, forte e ao mesmo tempo fraco. Fraco? Sim, no sentido em não ter sentimento algum, acaba se tornando fraco. Ele não ama, não sente nada, é quieto e acho que sofre calado, e nunca procura admitir que alguma coisa vaga em sua cabeça.
  Se ama, é uma forma estranha de amar. É momento em que pensa que sente, mas não sente. Seus desejos e vontades são feitos sem algum sentido, sem alguma força. Não procura e não faz, e não sabe se alguma hora se torna capaz. Seus medos são de si mesmo, acaba tendo do próprio ser e da própria mente.
  Despreza, ignora sem piedade. Sem dó, sem se importar e  escorrer algumas lágrimas nos olhos. É estressante, é comovente, como tudo isso parece ser tão fácil pra ele, tão simples? parece um andróide, sem sentimentos, mas humano.
 Acho que é um tipo de ser que não sabe o que é amar, não sabe o que é fazer sofrer. Não sabe o que é viver, é estranho, é sem explicação e sentido. É um ser que deve ser capaz de se matar sem dó, sem pena. Apenas tomando banho de gasolina e acendendo um fósforo no seu próprio corpo.