terça-feira, 18 de janeiro de 2011

NÃO PODENDO MAIS SE INTERESSAR

  Algumas coisas demoram à entrar em nossas cabeças. Mas em certos momentos da vida, elas acabam encaichando-se em certas partes. Tudo tem ficado tão claro e ao mesmo tempo, confuso.
  Não to mais querendo te pressionar, sufocar. Se você se sente assim, é melhor eu me afastar mais um pouco de você. Deixar você respirar um pouco, e também, vou aqui refletir e pensar sobre algumas coisas pra que tudo tenha solução. Eu te amo, mas percebo que deixo isso me dominar demais, faz eu querer e pedir demais, e nem tudo que queremos pode ser feito e nem realizado por outros ou por nós mesmos.
 Um ponto frágil, sensível, melancólico. Que agora, vai saber se defender, se cuidar, se amar. Maltratar, pisar? Não mais. Não posso deixá-lo aqui em cima de mim, colocando e impondo as coisas como devem ser e como são. Chega desse negócio de correria, de obrigações, de sempre querer agradar e deixar apenas um ali, bem e feliz.
 Não posso mais ficar pelos cantos em prantos, se isso nem vale a pena por você. Afinal, não faz as coisas por merecer, meu coração já está cansado de ser pisado e maltratado, de ser um carinha idiota e que sempre está ali atendendo aos seus desejos e vontades, porque nem se quer, os meus são feitos. Acabo esquecendo que amo demais, que me jogo demais. Tudo isso, eu sei, eu percebo, acaba pesando pra cima de você, e depois quando vem algo explosivo, vem sendo descontado tudo em cima da minha própria cabeça. Jogo pesado, cruel. Jogos mortais, digamos.
 Me lembro que em rodas de " Amigos ", eu sempre estava ali esperando um carinho, nem que fosse um abraço, companheirismo. Acho que é um desses motivos por mim ser tão frágil e melancólico. Chega disso. Chega desse carinha que corre atrás, chega desse que vive ali dizendo " Eu te amo " pra você e pra muitos ou poucos. Chega desse amigo tão próximo. Chega desse coração tão cheio de sentimentos. Chega desse ser com uma alma tão alegre e que queira sempre,  cativar à todos e à você, não? Vou me deixar, vou me largar. Deixar a alma embora, nem que seja por uns tempos. Ficar ali sendo aquele ser quieto, congelado.No canto, pensando e não mais se importando.

P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário