quinta-feira, 22 de setembro de 2011

SEGUNDA CHANCE





  Há alguns momentos atrás, eu tinha uma cabeça totalmente diferente comparada à essa agora. Dei muitas oportunidades pra vida, vi e refleti que algumas coisas podiam ser melhoradas e que eu poderia continuar seguindo em frente. Aquele pensamento suícida permanecia ali comigo, era uma espécie de convicção que tudo poderia ser resolvido daquele jeito.
  Depois de tanto sofrer e acabar caindo em um trauma sobre as pessoas, a minha cabeça procurava aprender sempre alguma coisa nova. Era uma forma de estratégia pra continuar seguindo. Mas o pensamento suícida continuava ali, cutucando. Procurando alguma hora certa.
  Bastava algum fato que me chateasse muito, e lá estava eu caindo em prantos. Mundo sem chão. Caindo apenas. Um mundo obscuro e sem fim. Era um momento Montanha-russa, frio na barriga.
  Mesmo com aquela cabeça crescendo, aprendendo a cada situação e momento vivido. Achava que faltava alguma coisa. Tinha ali, um vazio que faltava ser preenchido. E isso aconteceu há uns três mêses, básicamente. Algo tão bom, tão generoso.
  Chegou em boa hora e estou sentindo que estou em boas mãos. Se tornou o motivo de eu levantar  e deitar todo dia. Uma razão pra estar sorrindo de verdade. Com uma completa convicção, percebo que estou feliz. Ser feliz era um fato que eu pensava que era de momento, mas percebo cada vez mais que o negócio existe e que isso pode ser eterno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário