quarta-feira, 26 de outubro de 2011

MOMENTO DE DOR


 No meu quarto. No meu canto. Estou libertando as minhas dores e os meus anseios. Água escorre dos meus olhos vermelhos, meu peito faz pulsar algo que nem impulso de vomito. Mas algo é diferente, pois o impulso continua e sai líquido pelos olhos.
 Sento no canto da parede ou da cama, ponho algo triste pra ouvir. Gosto desse tipo de auxilio pra libertar a alma, é mais fácil. Tudo vêm, da forma mais simples e dolorosa.
 Coloco a minha cara no travesseiro e grito para que os outros não ouçam, berro até ficar roco. São simples formas de colocar tudo pra fora, todo aquele peso. O terror e a agonia total. E o que resta depois é se sentir leve e bem.

Um comentário:

  1. gostei, muito inspirador. Acho que vou fazer um texto sobre a tristeza.

    ResponderExcluir